12 junho, 2011

Leve um meu manjerico. Eu, com as quadras fico


I
Cantigas de portugueses
São como barcos no mar —
Vão de uma alma para outra
Com riscos de naufragar.
II
A caixa que não tem tampa
Fica sempre destapada
Dá-me um sorriso dos teus
Porque não quero mais nada.

"A quadra é um vaso de flores
que o Povo põe à janela da sua alma..."
Fernando Pessoa

III
Ora dá cá uma quadra
Que eu te dou um manjerico
Terás tua alma perfumada
E eu ficarei bem mais rico


-------------------------- Rogério Pereira

18 comentários:

folha seca disse...

Um bom Stº António meu caro Rogério.
Não se esqueça das sardinhas, de preferência acompanhadas com um bom copo de Ti-Almerinda.
Abraço

Catarina disse...

Que ricos manjericos! : )

Fê-blue bird disse...

E eu ficarei bem mais rica
E melhor acompanhada
Seremos dois passarinhos
Em conversa adocicada :)

beijinhos repenicados ;)

Janita disse...

Uma quadra lhe vou dar
Gostava que a achasse bonita
Seu manjerico me perfuma
Fique com o perfume da Janita.

Desejo-lhe um bom Santo António, Rogério.
Bjo.

Manuela disse...

Ao Rogério deixo uma quadra
e vou levar um manjerico
não levo mais nada
mas deixo um beijito!

Bom Santo António, amigo Rogério :)

ematejoca disse...

Os líricos, ai os líricos
Não quero amor imenso
Não quero imensa paixão
Quero apenas um manjericão!

Catarina disse...

Aqui está:

Meu amigo Rogério
Quero dois manjericos
Do seu lindo e vasto império
Sem imaginar namoricos.

Que me perdoem os poetas!

Gisa disse...

Uma quadra é muito pouco
Para um poeta tão querido
Mas se o pedido são quatro versos
Deixo-os e levo o manjerico.

Muitos bjs querido amigo

acácia rubra disse...

Vi muitas quadras e poucos manjericos.

Por isso, não vou deixar nenhuma, que já tem muitas. Não levo o manjerico porque já tem poucos.

Mas deixo-lhe o voto de uma noite bem divertida com sardinha en/quadra/da e vinho de aroma leve como o do manjerico.

Beijo

Rui Pascoal disse...

Era uma vez um santinho
Que gostava de pregar.
Não lhe deram cavaquinho…
Contra a maré, foi remar.

:)

Olívia disse...

Deixo duas, mas levo só um manjerico.


Santo António sem saber
era muito pobrezinho
Desde sempre ouviu pedir
Para si um tostãozinho

Sem nunca ver o fruto
De peditório tão antigo
Santo António está de luto
e a bem dizer... Perdido!

Um beijo

Sam. disse...

Longe de teu manjerico e tuas quadras... teus versos sem dúvida, deixam minh´alma mais perfumada!

Um beijo, Rogério!
Boa semana!!

ematejoca disse...

O seu comentário tem resposta, Rogério!!!

Manuela Araújo disse...

Uma quadra enquadrada
num espaço que é janela
por feia e mal engendrada
acaba por ficar bela

Filoxera disse...

O manjerico levo, então
Vou daqui mais perfumada
A caminho do S. João
E de mais uma noitada

:-)

(Ah! E não sou suicida nem poetisa. Escrevo mesclas do que sinto com o que invento, por vezes num tom mais cinzento; e quem me dera saber poesia...)

Boa semana.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Estive ausente da blogosfera durante estes dias, mas ainda venho a tempo de levar o manjerico, que pagarei com uma quadra de S. João. Valeu? (

Tite disse...

Ainda bem que cheguei atrasada.

A minha negação para rimas
Abstém-me de participar
Desculpa lá Rogérito
Os manjericos não levar

Chuac de Santo António

carol disse...

Rogerito, meu amigo,
Até me pões a rimar!
Cheguei tarde e já tenho
Manjerico p'ra levar...