29 junho, 2011

Pois... a Europa...

A Angela ficou felíz, é o jornal i que o diz

"A Grécia parece ter peçonha. Nas reuniões internacionais, Papandreou é objecto de todas as recuadas atenções e de todos os silenciosos desfavores. Os países "periféricos", nos quais se inclui Portugal, nada querem a ter com a Grécia, uma desgraça que dá azar. A simples menção do nome do país faz estremecer de horror os dirigentes da Europa "pobre." A Grécia é-lhes desprezível. Temem o "contágio", e afirmam, com fogosidade, nada ter a ver com "aquilo". Se a Europa económica e política está a desfazer-se, a Europa moral (o que quer que a expressão signifique) só não cai em estilhaços - porque não existe.(...)" - Baptista Basttos, hoje no DN

"Quem vê a nossa TV, qualquer delas, não precisa de ouvir os porta-vozes da Comissão Europeia, do BCE ou de qualquer outro credor em transe. Os nossos repórteres encarregam-se de nos demonstrar que os gregos são uns mandriões, cheios de privilégios e mordomias, que se fartaram de viver à custa dos outros e acima das suas posses, mais que se justificando tudo o que estão a passar ou vão passar.(...)" - JM Correia Pinto, ontem no POLITEIA
"A economia alemã deverá crescer 4% em 2011 e igualar a marca de 1991." - Por Ariel, hoje no Cirandado

12 comentários:

  1. Só estou a imaginar o futuro contágio da peçonha grega. Tenho cá uma vaga sensação que.........

    ResponderEliminar
  2. Só espero que o euro caia antes que a miséria atinja mais Paíse e o seguinte que está na calha é Portugal, como disse Nigel Farage e olhe o que lhe aconteceu!!! Mas disto não se fala!

    ResponderEliminar
  3. O nosso caso pode ser diferente do da grécia, mas que vei pelo mesmo caminho, não há dúvida.

    ResponderEliminar
  4. Somos uma vergonha, não somos? Solidariedade - o que é isso? E no entanto usamos - eu não que odeio a palavra vulgarizada - o verbo "partilhar" três vezes em cada frase que proferimos!

    ResponderEliminar
  5. “Não houve nenhuma crise Grega, o que há é uma crise Mundial, uma crise Europeia. Aqui os poderes políticos converteram-se por sua livre iniciativa em devedores, como serventuários dos oligopólios multinacionais. A solução para a independência dos povos europeus é... ¡sair do Euro! (Samir Amin entrevistado pela revista “El Viejo Topo”, uma publicação da Associação Catalã de Investigações Marxistas (ACIM)

    ResponderEliminar
  6. assim vai a DEMOCRACIA. GREGA.

    abraços

    ResponderEliminar
  7. Grata pela referência, Rogério. Estive para fazer um post sobre a "alegria" da Merkel, mas hoje é dia de festa lá pelo Cirandando, e dia não são dias...:)))

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. "Presente grego"?
    Um grande bj querido amigo

    ResponderEliminar
  9. Olá Amigo
    Tenho andado com o tempo contado e pior ainda com um cansaço que não me deixa escrever.
    Sento-me aqui para escrever e responder aqueles que como tu me deixaram uma mensagem cheia de significado a completar o Pastor. Passado menos de sessenta minutos os olhos começam a fechar-se e fico perdido.
    Pode ser que isto passe.
    O tempo que me rende mais é entre as cinco e a oito da manhã.

    Relativamente à Grécia e a Portugal penso que estamos a ser as vitimas desses carrascos que pensam em expoliar tudo e todos.

    A europa agora funciona com os monopólios e os que não os tem nunca terão nada. Depois o poder abate-se sobre os mais pequenos e quando lhe emprestam cinco é para se pagarem de dez.

    Não sei e nem entendo de política e fico doente de pensar que hoje como em séculos anteriores os grandes comem tudo e até devoram os mais pequenos..........

    ResponderEliminar
  10. Para que uns cresçam é preciso que outros decresçam. A cosmética é o que se sabe.
    Aqui, está tudo bem!... Taxas suplementares de IRS mais 50% do subsídio de Natal já foram... Para onde? Vocês me dirão.

    L.B.

    ResponderEliminar