04 março, 2013

Diz-me um amigo: "Este não é o tempo de se agitarem cartões partidários, mas sim de se agitarem as mentes." - Agora fico à espera que ele me diga como....



O que o professor Marcelo diz não sei se é receita por ele ditada ou se se limita a segui-la. Goebbels era um primário ao pé desta gente. Meu amigo é por certo um inadvertido bem intencionado pois ignora o facto. Ele diz-me (num seu comentário) que é preciso é agitar as mentes. Pois eu queria...  queria... talvez nos "tempos de antena"... A seu pedido, não agito o cartão do partido, mas perante este cenário, só me resta ficar de bico calado e os outros que agitem as mentes:
RTP informação: debate semanal com Ana Gomes (PS), Paulo Rangel (PSD) e participação eventual de Joana Amaral Dias (BE).  
SIC Noticias: debate semanal com Pacheco Pereira (PSD) António Costa (PS) e Lobo Xavier (CDS).  
TVI 24: debate semanal com Fernando Rosas (BE) Santana Lopes (PSD) e Francisco Assis (PS).  
SIC Notícias ("novos" comentadores): Marques Mendes (PSD), Jorge Coelho (PS), Bagão Félix (CDS), António Vitorino (PS) e Francisco Louçã (BE).
 
NOTA DE RODAPÉ: O PCP anunciou em conferência de imprensa "Sete Propostas para libertar Portugal do desastre", se a televisão não mostra, não há qualquer proposta (até porque os outros as ignorarão)

8 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

O PCP não é convidado ou não quer andar com más companhias?
É muito estranha esta ausência!

O Puma disse...


Nesta sociedade plural (?) democrática (?)
e estrábica

só não dão

voz ao PCP

Agitar?
Pois claro.

São disse...

Seguem tão só o exemplo da múmia caloteira que vagueia nos corredores de Belém, não é?

Fica bem

jrd disse...

Olá,

Contrariando a tua réplica anterior, apenas te digo que o Tozé não é agitador, é seguro...

Quanto ao como agitar as mentes. Eu faço o pouco que sou capaz e não é "muito", reconheço.

Não creio que o milhão que encheu as ruas de Portugal tenha precisado dos debates televisivos para ter as mentes agitadas. Aliás, é esse milhão que vai agitar novas mentes.

Não obstante duvidar da abrangência dos debates, sobretudo, em canais fechados, é incontestável que assim é difícil, a discriminação é vergonhosa e indigna e é mais uma forma antiga de bloqueio que já não surpreende.

Um abraço

Fê Blue bird disse...

Este seu post mostra bem com funciona a nossa "democracia" televisiva.
A televisão a mim nada me esclarece.

beijinho

Lídia Borges disse...


Pois é! Farto-me de ripostar, mas ninguém me ouve. ;)



Um beijo

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Apenas duas correcções:
No programa da RTP Informação que refere, a Joana Amaral Dias já foi há muito tempo substituída pela Cristina Azevedo cuja filiação partidária conhecia quando ela era jovem, mas duvido que mantenha.
Na TVI 24 aparecem frequentes vezes António Filipe, Bernardino Soares e Honório Novo.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Que fique claro... não quero com isto dizer que não há um grande (enorme) desequilíbrio nos convidados...