29 março, 2013

Sexta Feira Santa e a fé nas pedras


17 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

Ámen

boa Páscoa

:)

Anónimo disse...

Ilha da Utopia.
Isso existe?
Cristo na cruz e a humanidade à espera de Luz!

Maria João Brito de Sousa disse...

Gosto do teu poema, Rogério! Tomei conhecimento, desde a minha primeira adolescência, das mais variadas teorias acerca desta morte e até da hipotética não-existência de Jesus... tenho, para mim, que ele foi crucificado por razões muito semelhantes às que movem muitos de nós, ainda hoje... tenho, para mim, que ainda hoje se "crucificam" pessoas ... de outras formas, é certo, bastante mais "sofisticadas"... mas sei bem que sim...

Uma feliz Páscoa para ti!

Maria João Brito de Sousa disse...

Voltei só para partilhar uma pequena reflexão minha... começo a acreditar - fruto de algumas leituras rápidas e muito recentes - que ainda há portugueses à espera de D. Sebastião... e estão a ver muito mal o vulto do eterno mito... deve ser por causa do nevoeiro...

Mar Arável disse...

Há tantos Cristos

no chão que pisamos

Abraço amigo

manuela baptista disse...

há muitas ilhas, Rogério


não tema sobretudo os que têm fé, esses fazem pouco ruído mas são corajosos

tenha uma boa Páscoa

um abraço

jrd disse...

Tenho fé na Utopia.

quem és, que fazes aqui? disse...


Uma Boa Páscoa e que a renovação seja mesmo a da Utopia!

Beijo

Laura

Fê Blue bird disse...

A fé para alguns é força, para outros será fantasia, outros ainda andam à procura dessa ilha.

Feliz Páscoa meu amigo

beijinho

rosa-branca disse...

Olá amigo, ter fé...eu bem que gostaria, mas após tantos desacertos com a vida, eu não consigo. Boa Páscoa e beijos com carinho

Ana Tapadas disse...

Concordo com o comentário do Mar Arável...e leio aí muitos sentidos, especialmente o da rebeldia histórica contra o poder instituído.

Belo texto, cheio de convicção e ideal.

Tem uma bom fim-de-semana de Páscoa meu bom amigo.

Beijinho

MARILENE disse...

Você colocou a etiqueta "política" em seu poema. Assim, levo sua construção para esse lado. A memória se perde e não basta apenas fé para se mudar caminhos, em um país. Só no campo da utopia.
Abraços!

São disse...

Rogério, tomemos Jesus com símbolo de todas as pesoas inocentes em sofrimento...e isso basta.

Uma Páscoa renovadora e com doces amêndoas, amigo meu

Rosa dos Ventos disse...

Gostei do poema mas não tenho qualquer ideia sobre a Sexta-Feira Santa...
Gostaria de ter...

Abraço, malgré tout pascal

Graça Sampaio disse...

A Utopia não se constrói, ela está pelo menos um metro à frente de onde se chega com o olhar... Por outro lado, as pedradas no charco não evita que o charco continue a sê-lo, mas sempre agita o olhar.

Bela reflexão, amigo Rogerito!

E... Boa Páscoa, anyway...

ana disse...

Deixou-me confusa...

Um poema bonito mas arrepiante, a razão e a fé são inconciliáveis. (Sou católica não praticante)
Boa Páscoa.

Manuela Araújo disse...

Olá Rogério

Ora vamos lá continuando a atirar pedras ao charco, mais dia menos dia, acabando flutuando mesmo!

Uma boa Páscoa