17 março, 2013

Geração sentada, conversando na esplanada - 29 ("A escuridão serve para esconder muita coisa, mas não é boa para esconder a luz")

(Ler conversa anterior)
- «O que está à vista não precisa de candeia.»
- Diz o povo.
- Não faz sentido, de facto.
- E Vossa Excelência também não precisa de uma segunda candeia para dar a ver a primeira candeia.
- Sim, isso é um facto.
- A luz, antes de iluminar as coisas, ilumina-se a si própria. Dá-se a ver a si própria.
- «Mais vale acender uma vela do que dizer mal da escuridão.»
- Ora aí está, de novo.
- Sete mil homens podem insultar a escuridão, é o que lhe digo.
- Sim, o número de pessoas capazes de insultar a escuridão é infinito. No entanto...
- No entanto...
- No entanto, basta um homem para acender uma vela.
- Mas deixe-me fazer-lhe uma pergunta.
- Sim.
- Cabem mais homens numa sala escura ou numa sala iluminada?
- Não faz sentido essa pergunta, parece-me.
- Faz sentido, sim. Numa sala escura temos sempre a sensação de que há menos gente do que numa sala iluminada.
- O escuro psicologicamente esconde mais. Física e psicologicamente. É isso?
- Nem sempre. Por exemplo, é mais fácil escondermos uma lâmpada iluminada no meio de cem outras lâmpadas iluminadas do que uma lâmpada iluminada no meio da escuridão.
- Ou seja?
- A escuridão serve para esconder muita coisa, mas não é boa para esconder a luz.
- Em suma, se alguém quiser esconder uma candeia não a deve esconder no meio de uma sala escura. Não é o local certo.
- O homem que quer esconder uma candeia num quarto sem luz - eis o bom título para falar de um homem desastrado ou distraído.
- O homem que queria esconder a luz num quarto escuro.

Gonçalo M. Tavares - hoje, no Noticias Magazine
"Ena tantos!... mas porque é a lista não integra nem um comunista?"
 
Enquanto o pombo e o melro disputavam as migalhas de bolo desperdiçadas pelo cão rafeiro, que gulosamente saboreava o que o dono lhe dava, todos na esplanada tinham a atenção concentrada. Por isso ninguém atendia às esclamações e comentários da Gaby, abandonada à sua apaixonada distração de interrogar textos e figuras editadas no seu iPad. Acho que parou no meu "Conversa". Acho que estava a ler o meu último post e abanava a cabeça, como se discordasse.
- ... mas porque insistem em meter os comunistas num quarto escuro?, interrogava ela, sem que qualquer de nós lhe desse resposta. Entretanto, no meu canto, eu sublinhava uma frase:"A escuridão serve para esconder muita coisa, mas não é boa para esconder a luz." , e fui-me à escrita

11 comentários:

Tétisq disse...

Não há comentadores comunistas e os que há qualquer dia perdem a pouca luz que lhes resta, de tanto que insistem em iluminar as salas (vg orgãos de comunicação social) todas

Graça Sampaio disse...

Também li o texto de Gonçalo M. Tavares da NM de hoje e achei um espanto de metáfora! Mas... desculpe-me, desculpe-me, desculpe-me: não devemos tomar a parte pelo todo! O que o Carlos Carvalhas previu estava muito bem previsto e ele pode ser considerado uma vela luminosa, mas daí a considerar "os comunistas" como vela acesa... parece-me um bocado forçado, não?

(desculpe-me a minha frontalidade toda, mas é que eu sou do Carneiro...)

Beijinhos

Rogério Pereira disse...

Graça,

Use a sua frontalidade à vontade, terá sempre uma porta aberta e uma sala iluminada...

As metáforas são para serem entendidas pelo entendimento que lhe é dado... espero o seu, se não concorda com o meu...

(posso passer excessivo, mas sabe?, ainda tenho presente a longa noite do fascismo...)

quem és, que fazes aqui? disse...


Na noite, numa trincheira, nunca se acende um cigarro.

Beijo

Laura

Lídia Borges disse...


;) Deixei o tema para si, de novo, mas a crónica de hoje convida. É um farol.

A minha admiração por este Gonçalo, cresce...

Lídia

jrd disse...

Um texto iluminado sem dúvida.
Mas há que não esquecer que, durante a escuridão da longa noite fascista, houve sempre alguém que iluminou o caminho.
Um exemplo entre muitos foram Manuel Alegre e Adriano Correia de Oliveira em:

(...)
Mas há sempre uma candeia
dentro da própria desgraça
há sempre alguém que semeia
canções no vento que passa.

Mesmo na noite mais triste
em tempo de servidão
há sempre alguém que resiste
há sempre alguém que diz não!

Ana Tapadas disse...

É urgente que quem pode escrever textos destes - e ainda tem voz - o faça. São «textos - luz».

Beijinho

Fernando Negro disse...

A lista não integra nenhum comunista pela mesma razão que, ao contrário dos bloquistas, também os comunistas não são presença assídua nos programas de debates na imprensa controlada...

O PCP (+PEV) é o único partido com assento parlamentar que não é controlado pelos grandes interesses económicos. Que é dizer, pelos banqueiros e capitalistas internacionais que estão por trás da UE, FMI, BCE e que quase tudo controlam nos bastidores - incluindo os média de massas.

Até o BE (que, reparem, apesar de toda a crise por ela provocada, é pró-UE e que já começa a deixar cair a sua máscara "socialista") é controlado por eles.

Mas isto é algo que só atinge quem estiver bem informado sobre esses mesmos grandes interesses económicos.

(Quem quiser, pode começar por aqui, aqui e aqui...)

Mar Arável disse...

Na verdade

contra as noites escuras

há noites em claro
noites claras

que se levantam

Abraço sempre

OceanoAzul.Sonhos disse...

Palavras com Luz.
Gostei de te ler.

Beijinho
cvb

maceta disse...

lembrei-me do obscurantismo vá-se lá perceber por quê?