04 março, 2013

"O importante, agora, é continuar a lutar. De preferência sem ver no PS o grande inimigo." - pede-me um amigo


O meu amigo pede (num comentário) que não se considere, o PS, o grande inimigo. Mas não me pede que o não considere o pequeno inimigo, o que me deixa sem margem para grandes alternativas. É que pequeno, o PS não se cosidera ser. E se eu considerar o PS um inimigo, nem sei que dimensão lhe hei-de dar. Fica a pergunta, para a resposta que queiram dar. Para ajuda, cito Seguro: "
"Os portugueses que hoje saem à rua têm muitas razões para estar indignados e para protestarem e exigirem uma mudança de política. E é por isso que as responsabilidades do PS aumentam" (ler mais
Uma coisa parece certa, Seguro meteu a rua na gaveta, e, pelo sim, pelo não, já iniciou a campanha...

12 comentários:

O Puma disse...

Desejo que Seguro oiça as tuas recomendações
e já agora as de Alegre

São disse...

Amigo, são as divisões da Esquerda que dão o Poder à Direita!!

Por aqui me fico...

Graça Sampaio disse...

BOA, São! Eu não diria melhor!
Mas não foi para dizer isto que abri a caixa de comentários. De facto o nosso amigo Carlos do Crónicas do Rochedo tem toda a razão com o seu pedido. E, ou eu não sei ler, ou então sou tão tendenciosa como o meu querido Rogerito, mas não vejo que o (In)Seguro tenha «metido a rua na gaveta». Ai dele se não se apoiar na rua!

Beijinhos

Fê Blue bird disse...

Sinceramente já não acredito no PS e acho que o Seguro não nos dá segurança nenhuma.
Fui à manifestação é só vi tristeza e desalento nos rostos.

beijinho

Rosa dos Ventos disse...

Subscrevo o que diz a São!
E quem é que pode meter a rua na gaveta?
Só se for o (des)governo e a múmia de Belém que parece não terem ouvido nem visto nada...

Rogério Pereira disse...

São, Graça e Rosa,

Seguro, se não meteu a rua na gaveta, não se comprometeu com ela (tanto quanto a UGT) e o (des)governo e a múmia de Bélem compreendem (e agradecem) tal gesto... eles acabarão por se entender. Se não for assim...

De qualquer forma Seguro, já está em campanha...

JM Correia Pinto disse...

É isso mesmo. Eles não só não fazem nada para melhorar as relações com o lado de cá, como não querem pertencer ao lado de cá.
A luta terá de ser contra os que estão contra...E o PS ainda não disse uma única palavra contra isto em que se possa confiar. Do género: vamos repor os salários e as pensões, etc.
Andam a tentar enganar a malta...

Jaime Ramalhete Neves disse...

Vamos por partes.
Claro que o Inseguro (não passeia por Braga o seu esplendor) passeia por Portugal a sua insegurança e timidamente sorri quando põe uma boinazinha descaída sobre a orelha (já me não lembro qual).Mas há quem coma bolo rei com a boca toda (em casa,desde pequenino,é que se aprende a comer...) Mas, depois destes,há os Insegurinhos. Quase que tenho medo de os caracterizar. Mas tenho a impressão que carregam consigo uma culpa que não têm.E que lhes impingiram e que eles em parte aceitam (ai o fado,o que faz falta é o D.Sebastião, coitadinho, que lá ficou em Alcácer-Kibir e, por mais que se procure, não se encontra outro...).
Num artigo publicado hoje Eugénio Rosa (Como garantir a sustentabilidade dos sistemas de Segurança Social)já aponta soluções viáveis.
Não sei a razão por que agora me lembrei de uma mensagem hoje recebida de um amigo e colega de Tessalónica. Dizia-me ele que o Presidente da Câmara de lá tinha sido condenado a prisão perpétua e que um antigo ministro do do Pasok tinha apanhado oito anos de prisão. Ambos por roubalheira.
Quem rouba aqui, no tal jardim à beira mar plantado, o bem estar de todos nós,sabendo eu que os meus cortes nada significam em comparação com aquilo que muitos concidadãos recebem e que lhes não chega para comer?
Aqui surge outro problema, comprar lentes para ver melhor implica,lentes, armação e as consultas no Desserviço Nacional de Saúde.

jrd disse...

Este não é o tempo de se agitarem cartões partidários, mas sim de se agitarem as mentes.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O facto de considerar a fuga de Seguro para Campo Maior no dia da manif, uma estratégia que repudio, mantenho a minha, Rogério. Gostava que o PSD e o CDS fossem os grandes alvos a abater pela esquerda. Infelizmente, sabemos que não é assim...

Rogério Pereira disse...

jrd, Seguro agita-as bem!

Amanhã dedico-te o post...

São disse...

Se Seguro não tiver a inteligência de se apoiar na rua, então bem pode ficar em campo Maior ou Rio Maior ou qualquer povoação de género (com todo o respeito que me merecem as ditas)