10 março, 2013

Geração sentada, conversando na esplanada - 28 (Gil, o filósofo que ainda não estando gá-gá, até parece que está)

"Há que transformar o sistema politico e reinventar a Democracia (...) Não é por acaso que o que contou, o que mete medo ao Governo, não foram as manifestações das organizações sindicais, dos partidos, etc. Tudo isso está ordenado, codificado, já se sabe para onde vai. Agora aquilo que é solto, que é imprevisivel, que não tem ideologia, que não tem discurso ordenado, pode ser impossível de captar e de capturar e de domar. É disso que o Governo tem medo, de que o poder tem medo" - José Gil, hoje ao DN 
Quem diria que a esplanada se enchia, se enchia de cor e de vozes, como uma praça...
 
Quando cheguei a esplanada rebentava, cheia de cor e de vozes, e os poucos lugares vazios eram os de mesas ocupadas. Na mesa "delas", das minhas professoras, não havia nenhum, mas na do engenheiro havia um. Pedi-lhe licença e ele estendeu a mão, acedendo, com um cumprimento, enquanto o seu cão rafeiro, parecia que sorria e abanava o rabo, prazenteiro. Comportávamo-nos como se fossemos íntimos, não o sendo. Nem sabíamos os respectivos nomes, nem sequer o do cão, que mentalmente eu baptizara de Sebastião - que era o nome do meu, já há muito falecido...
- Leu isto? e mostrava-me a fotografia do filósofo que ocupava grande mancha de dupla página.
- Li "as gordas"...
- O homem ás vezes parece que está gá-gá, outras parece que não está!
- O homem diz o que o que gosta de ler o leitor normal desse jornal!
- Uhmm... acha? a mim parece-me um discurso de grande lucidez. Mexe nas feridas todas, mexe com todos...
- Pois é isso mesmo!, cada um pode ver no escrito, o que pode ferir e atingir o outro...
- Vendo assim, tem razão! Mas... e este destaque aqui? em que ele diz que é...
- ... que é do que é solto, do que é imprevisivel, do que não tem ideologia, que é disso que o Governo tem medo?
- Essa mesmo... que diz?
- Digo que, se disso o Governo tem medo, mais razão teria ele para dizer que ele próprio devia ter. Eu tenho! eu tenho medo que o poder possa cair e ser tomado por quem não tem outra ideologia que não seja a de derrubar o poder, para o poder ter...
- Quer dizer que ele está a fazer o entendimento que para derrubar o sistema só a falta de ideologia é eficaz? Que ele está a fazer apelo subliminar ao aparecimento de um Grillo?, ou mesmo de um ditador?
- Ele está a dar cabo da "parábola dos sete vimes", é o que eu acho...
 
O cão rafeiro veio cortar o diálogo colocando a queixada sobre a minha perna dobrada. Estava a requerer-me uma festa, e eu dei-lha. O engenheiro fechou o jornal e lançou um olhar perdido, pensativo, sobre o colorido da esplanada sobrelotada... ficámos calados.. não dissemos mais nada.