25 março, 2014

O wrestling, a galhofa, a simulação e a sova



Entre o wrestling e a "galhofa" as TVs lusas chamaram conhecidos e reputados "lutadores" para um campeonato nacional de manipulação de golpes. Estes jogos, baseiam-se em regras estranhas: o confronto quase sempre é com um adversário ausente,  pois o presente tem papel ambíguo, ou simula que ataca ou faz brilhar os golpes desferidos em outros inimigos. Os espectáculos são diários, mas a modalidade sobe ao rubro aos domingos, com dois combates planeados, considerados de luxo. 
Como todos os espectáculos, este combate combinado também vive das assistências. Na RTP1 a coisa estava fraca, próximo de "ir dar barraca" e, eis senão quando, um dos contendores puxa de golpes que não constavam da cartilha do adversário. Caldo entornado. A luta prolonga-se para além do ringue. Discute-se, fazem-se declarações, apostas e toda a imprensa dita de referência bota sentença. Uns dizem que o traído deu uma sova no traidor, outros dizem que foi este a levar uma grande coça. Empolgam-se os amantes do arco da governação, até mais não.

Enquanto este circo continua, eu luto. 
Sim, mas na rua,
longe do Campeonato Nacional de Wrestling.

6 comentários:

O Puma disse...

Força camarada

São disse...

Não morro, aliás nunca morri de amores por Sócrates, mas Rodrigues dos Santos é um enfatuado que se presta a papéis muito tristes,,,

Maria João Brito de Sousa disse...

Confesso que muito raramente contribuo para "engordar" as "taxas" de audiência dessas "lutas"... é que a minha pobre cabeça não é de ferro e nem todos somos capazes de "digerir" tanto golpe sem que as cabeças se nos ressintam. Mas o pior é quando nos deixamos enredar na luta e passamos a tentar entender tudo, tudo, como vai, infelizmente, acontecendo. Gostaria de poder ser capaz de assistir a "tudo", reflectir sobre "tudo", estudar-lhes melhor os "golpes" para, deles, melhor me defender... mas já me não vai sendo possível.


Abraço e muita força, Rogério!

Lídia Borges disse...


Excelente comparação que ilustra bem as voltas e reviravoltas do "folclore" televisivo.

Um beijo

Fê blue bird disse...

Ainda bem que há quem lute !
Uma luta justa, sem estes circos televisivos.

beijinho

Agostinho disse...

Não há pachorra para as palhaçadas.
destes excelentíssimos senhores. Paladinos, na sua sapiência cábula (feita em casa)fazem mal à nação. Pantomineiro, alcoviteiro, pinóquio e os outros malabaristas de serviço melhor fariam se fossem à pesca.