13 junho, 2010

Eugénio de Andrade: três pensamentos, para fazer passar e um poema para pensar...

5 anos após a sua partida, deixa-me muito para passar, outro tanto para pensar ... também a ele devo esta minha estranha mania de escrever e nessa escrita ver, ainda que pálida e cinzenta, alguma poesia

Uma pequena, muito pequena, amostra dos recados que me deixa:


"A juventude não precisa de piedade, mas de verdade. Há muito jovem que me pede ajuda onde não há ajuda possível, pois ninguém pode viver por eles a sua própria vida, remontar às fontes do ser. Porque a poesia é a perpétua procura dessas águas"

"Ser jovem não é fácil. Alguns procuram-me para que lhes dê certezas, e eu não tenho nenhumas, nem sequer para uso pessoal. Por isso não deixo de lhes dizer que a única coisa em que estou interessado é em perturbá-los. A poesia é subversão, e esta passa pelo corpo, naturalmente"

"Caridade é uma palavra de flancos frios e águas estanques. Conduz sem grandes desvios ao mundo pantanoso e pervertido da repressão, onde a consciência que se diz virtuosa mais não faz que servi-lo, desinteressada como está em que a potencialidade humana se afirme em todo o seu esplendor"

Eugénio de Andrade, em "Rosto precário"

adeus, Eugénio de Andrade

5 comentários:

Fê-blue bird disse...

São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas...

O meu poeta preferido!

Bom domingo ;-)

Isa GT disse...

Não é só a juventude que precisa de verdade, eu já não estou muito nessa fase e nem sabe, a falta que ela me faz :)
Bjo

maiuka disse...

Rogério,

Gostei particularmente deste post!

Quanto à sua escrita, não a acho nem pálida nem cinzenta. Tem poesia, embora nem sempre sobre a forma de poema.

Beijo

Fernanda disse...

Amigo Rogério!

Adoro a forma como escreve, nada cinzenta...
Eugénio de Andrade é simplesmente um dos meus poetas favoritos.

"Juventude

Sim, eu conheço, eu amo ainda
esse rumor abrindo, luz molhada,
rosa branca. Não, não é solidão,
nem frio, nem boca aprisionada.
Não é pedra nem espessura.
É juventude. Juventude ou claridade.
É um azul puríssimo, propagado,
isento de peso e crueldade.

Eugénio de Andrade, in "Até Amanhã"

Como o próprio diz, todos nós, jovens e menos jovens, procuramos certezas, caminhos...toda a vida, mas só cada um de nós nessa caminhada que é a vida fazemos a aprendizagem...quendo fazemos!!!

Boa semana.
Bjs.

Na Casa do Rau

BRANCAMAR disse...

Vinda do post actual cliquei na imagem deste. Tinha que ser, sou uma fã incondicional de Eugénio de Andrade. Tinha 18 anos quando tive a ousadia de lhe enviar um poema meu. De volta mandou-me o seu livro "Antologia Breve" por um amigo que trabalhava nos Serviços Médico Socaisi de que era funcionário na altura, mal eu sabia que iria parar ao mesmo sítio e encontrra os dois.

Fez-me nesse primeiro livro uma dedicatória remetendo-me para a parte final do mesmo, uma entrevista longa onde estava este excerto que aqui transcreve.

Hoje ao relê-lo vi com outros olhos a lucidez imensa que existe nestas palavras. Eugénio era um Homem solitário, mas quando era amigo era de uma lealdade e amor incríveis, de que poucas pessoas são capazes e de uma sinceridade e veracidade imensa.

Gostei de vir aqui.

Beijos