23 junho, 2010

Regionalização, a evolução registada



Existem evoluções significativas entre os mapas. O primeiro da esquerda, editado por um (in)suportável blogue, tem data de Maio de 2007. Aí já se dizia algo como isto: " ... em vez de lutar contra as tendências tradicionais lusas da migração para as zonas litorais e para as cidades, desistiu de o fazer e cedeu de vez à inevitabilidade da desertificação do interior e da concentração populacional nas cidades, especialmente do litoral. A única excepção é a existência de um par de SCUT’s que se destinam a poder levar alguns protagonistas a um par de oásis situados no interior beirão (que se assinalam de forma pouco criativa no mapa original a distribuir pelas escolas), onde existem diversas hipóteses de negócio e que funcionam como zonas de refúgio para amigos, familiares, professores e amigos de alguém." O meu mapa, já mostra evoluções recentes: O Litoral Alentejano foi integrado no deserto o qual se fundiu (leu bem, escrevi fundiu) com a designada Zona Desactivada para dar lugar a uma Região a Alienar em conjunto. Na aquisição do todo oferecem-se boas praias, um CD com a canção "Porto Covo" e mais os referidos Oásis. Oferece-se ainda a garantia de quem comprar não vai ser importunado por malta do pé-descalço. O preço das portagens, nas tais SCUTS, serão forte garantia disso mesmo, como se prova pelo entendimento entre o Governo e o PSD....



NOTA FINAL: O novo mapa, contrariamente ao que aconteceu com o primeiro, não será distribuído nas escolas, pela simples razão de em 2013 estas já não existirem... 

8 comentários:

polittikus disse...

Creio que estes mapas revelam mais uma vez, uma verdade absoluta. Os mais desfavorecidos é que pagam a crise...

Ana Martins disse...

Boa noite Rogério,
para quê mais comentários se aqui já deixou tudo dito, estamos em Portugal e governados por abutres!

Grata pelo comentário no Sempre Jovens ao meu poema "No Silêncio..."
Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

maiuka disse...

Mas a verdade é assim tão dura?

Saozita disse...

Olá Rogério, agradeço a visita no meu blogue e fico feliz por ter gostado. Também gostei do seu, pela forma interventiva com que aborda as diferentes temáticas.
É preciso consciencializar, fazer ouvir a nossa vossa voz, numa postura de crítica construtiva num sentido do exercício da cidadania a que todos temos o dever de dizer presente. Parabéns.

Continuação de uma boa semana.
Bj

Isa GT disse...

O que mais me assusta não são os mapas mas o torpor do povo que está a ser embarretado e parece não ter consciência disso.
Só vão acordar tarde demais quando eles desaparecerem todos para o mesmo sítio onde deve ter ido o Dias Loureiro que sumiu completamente.

Fê-blue bird disse...

Acham que andam todos lá no seu poleiro a brincar com Portugal como se fosse um jogo de playstation (este vai para aqui, aquele para ali), e os otários assistem impávidos e serenos e alguns até aplaudem.
Todas as vozes são poucas para denunciar estas autênticos atentados à nossa dignidade como povo.
Continue a avinagrar!
Um abraço

mdsol disse...

Vá lá, upa upa. Que é isso? É qu eeu hoje deu-me para a blandícia. Só isso.

:)))

Rogério Pereira disse...

Sublinho o comentário da MdSol

Upa
Upa

(Portugal está à venda
Mas ainda não foi comprado)