04 junho, 2010

A partir de agora, trabalhos dobrados...

A informação golpista vai estar em tudo o que é imprensa a fazer passar as suas mensagens, a denegrir o que lhe seja conveniente, a fazer omissões e distorções do que disserem ou até dos silêncios dos candidatos presidenciais ou mesmo, para manter a credibilidade, não deixará de fazer recurso a mensagens subliminares, visuais... Estes, já são os esperados. Mesmo os não comunicados ou declarados, todos vão estar na berlinda, já.

DECLARAÇÃO SOLENE

Tenho por afirmação solene, escrita e jurada na minha declaração de princípios editada em 31 de Janeiro passado no meu blogue, que “Não entrarei no jogo político, por isso, não comentarei discursos ou posições de qualquer partido”. Á letra até podia, dado que quase todos os candidatos se afirmam como candidatura apartidària, mas eu sigo o espírito da coisa. Não os comentarei. Contudo, estarei atento ao que a informação golpista dirá de cada um deles. Esse é o meu papel. Denunciar a informação golpista e manipuladora é pois o meu combate...

Exemplos recentes de distorções e omissões, sinais evidentes de que não me vai faltar matéria-prima...

Um acontecimento relevante foi, neste contexto, a Grande Entrevista de Manuel (RTP 1). O Expresso de sábado passado tinha publicado uma opinião de Miguel Sousa Tavares ("uma campanha triste") à qual Manuel Alegre respondeu alegremente. Longe de o chamuscar, com um texto seco e duro, deu-lhe um guião e saiu-se impecavelmente. Até aqui, tudo bem. Só que antes tinha publicado a penúltima opinião de Saldanha Sanches e... tudo mal. O Expresso, que até tinha feito um justo e merecido elogio fúnebre àquele seu colaborador, não está de modas, limpa-lhe "Os equívocos de Alegre" do longo arquivo que mantém online. Tive de o ir buscar onde não corre o risco de se perder. Porque razão esta omissão?

E, falando de omissões, repararam que nem uma linha sequer comentando a entrevista? O SOL, hoje, segue a mesma orientação... Qual a estratégia noticiosa dos semanários? A resposta segue dentro de alguns posts...

Nos diários de referencia, também existem omissões. DN e Público em particular dão particular relevo à entrevista, mas omitem uma parte relevante onde MA refere que as políticas económicas e de justiça social de Lula da Silva são exemplo. Afirma que Lula, não sabendo nada do assunto, criou no Brasil um novo modelo para a sua economia e fez das prestações sociais um factor de crescimento económico. (como já recomendei, oiça-o, no 18º minuto da sua entrevista)

Mas pasme-se, é o próprio site de Manuel Alegre a dar maus exemplos de distorções quando dá, daquela mesma passagem da entrevista, uma versão "ligeiramente" diferente da que ouvimos em directo. No site apenas se diz, que MA terá afirmado: "as prestações sociais são um factor de desenvolvimento”, invocando a experiência de Lula da Silva e defendendo a necessidade de investimento público, nomeadamente em escolas, hospitais e barragens, para combater uma situação recessiva." Estou a empolar um pequeno pormenor, coisa sem relevância? Talvez estejam nos pormenores do discurso político o cimento agregador da esquerda....

Mas para se perceber do que estamos a falar, Manuel Alegre entusiasma-se com o Circulo Virtuoso e com o vídeo abaixo. O seu staff de campanha é mais moderado. Será isso?


Então? Portei-me bem e conforme a declaração solene?

Caso sim, a minha deusa Thémis estará mais satisfeita (é que ela sabe que não há justiça sem verdade.... )