24 junho, 2010

Caminho entre duas culturas...

Nas suas conferências, C. P. Snow dava-me como exemplo de alguém que sempre soube situar-se entre as duas culturas. Eu? Eu agradeço-lhe uma das leituras mais importantes da minha juventude e fiz sempre tudo para que ele me recordasse em primeiro lugar... São dele as seguintes palavras: "Muitas vezes estive presente em reuniões de pessoas que, pelos padrões de cultura tradicional, são tidas por muito cultas, e que, com considerável satisfação, expressaram a sua incredulidade quanto à falta de instrução dos cientistas. Uma ou duas vezes fui provocado e perguntei quantas delas poderiam descrever a Segunda Lei da Termodinâmica. A resposta foi fria; também foi negativa. No entanto, eu perguntava algo que equivaleria em termos científicos a 'já leu uma obra de Shakespeare'?"

Tirei do bolso
um sorriso, que coloquei
por cima do meu pescoço.
Verifiquei na face
a presença de alguma lágrima
que me atraiçoasse.
Vesti-me de feliz emoção,
confirmei se tinha no lugar certo
a cabeça e o coração

Então, fiz-me à estrada
quase sempre vazia
tendo dum lado a ciência
do outro a poesia

E por ela caminho...
(Por vezes até encontro alguém)
-
-Dedicatória: Dedico esta página a todos os que encontrei pelo meu caminho, ao Serralheiro Saramago, ao António Gedeão e a outros que percorreram e percorram essa estrada ou que por ela andam...

10 comentários:

Isa GT disse...

Muito bem dedicada :)
Bjos

maiuka disse...

Gostei das ideias e do poema, que suponho ser seu. É particularmente poética a parte

"Tirei do bolso
um sorriso, que coloquei
por cima do meu pescoço."

A foto está bem montada!

Fê-blue bird disse...

Parabéns por este seu excelente post:
Desde o texto à foto montagem, e principalmente ao poema. (...confirmei se tinha no lugar certo
a cabeça e o coração...)
Não é todos os dias que encontramos alguém que tem o coração e a razão bem situados.
Deve ser este o segredo para o seu balsâmico vinagre ;-)
Um abraço

Rogério Pereira disse...

Isa,
Pela estrada encontrei outros que sabem que a humanidade é síntese das duas culturas, harmonia de saberes e conhecimentos entrelaçados... mas são estes que me servem de exemplo!

Rogério Pereira disse...

O poema é de quem dele gostar...

Quanto á imagem ser poética... só sei que é comum a quem tem a anatomia certa!

Rogério Pereira disse...

Cara Fê

ter o coração e a razão bem situados, não é fácil:

Coração sujeito a agressão
constante, sem piedade
sem cabeça fria perde-se a razão
e sem ela a seriedade

Mariazita disse...

Sei que não precisas da minha aprovação. Contudo, ela aqui fica:
Aprovo em absoluto a dedicatória desta página!
Os escolhidos (nomeados) merecem-no; e os outros também, com certeza.

Entrei sem ser convidada, e continuarei a vir.
Vou fazer-me tua seguidora, para não te perder o rumo.

Até breve. Beijinhos
Mariazita

Luisa moreira disse...

Totalmente de acordo. É essa uma das ligações que propagamos tantas vezes, como tem tido oportunidade de constatar nas suas visitas.
Aqui está uma boa forma de colaboração.

Rogério Pereira disse...

Mariazita

Esta casa é sua, e como cantava a Amália:

"Quando à porta humildemente bate alguém,
senta-se à mesa co'a gente.
Fica bem essa fraqueza, fica bem,
que o povo nunca a desmente.
A alegria da pobreza
está nesta grande riqueza
de dar, e ficar contente."

(também já lá fui)

Beijo

Rogério Pereira disse...

Cara Luisa,

Temos muito que fazer. Mas Iremos "dar conta do recado"... As nossas crianças bem o merecem!

Abraço