14 agosto, 2012

Eu me penitencio e retrato: "eles" não são iguais, só por que não sei quais são mais...


Por detrás deste sorriso, há um ar desolado mal dissimulado...

Eu me penitencio e retrato. Não podemos meter tudo no mesmo saco. Um exemplo desse não dever misturar tudo é o facto, mais que evidente, que os submarinos andam debaixo de água e os helicópteros andam lá no ar, que nuns casos se descobrem documentos e noutros não há forma de os encontrar... Me penitencio do acto de ter misturado casos não miscíveis e disso ter tornado publico, num comentário...
O que eu devia era mesmo falar, não do(s) caso(s) mas da ocasião, pois é sabido que é esta que faz o ladrão. Isso mesmo, em vez de falar deste e daquele e do outro e mais do padrinho e do enteado dele, devia era falar do sistema. Sim, do sistema. Qual natureza humana, qual tanga? Sou darwinista e quando me falam em natureza humana é como que a dizer: "deixa-os andar, não há nada a fazer, está no ADN do ser".
E o que é isso do sistema? Ah, quando surgem assim perguntas, respondo com respostas já dadas (para que se não diga que acordei agora) ou remeto para coisas a que poucos dão atenção:

13 comentários:

Caroline Godtbil disse...

Espetacular a reportagem... todo governo é essencialmente igual... só muda o endereço.
Beijo.

Janita disse...

Embora com atraso é com gosto que deixo um beijinho de parabéns ao Diogo, gabando-lhe o exotismo peculiar do paladar.
Quanto ao post de hoje, não precisa de se retratar e muito menos de penitenciar. Em matéria de políticos, pobres ou ricos, e daquilo que gera dinheiro e move interesses, tanto faz andarem no fundo do mar como sobrevoarem o ar!!
Se a corrupção estiver no ADN de tudo quanto é político - o que eu não acredito - vai ser difícil encontrar um sistema eficaz.
Se calhar, na actual conjuntura, tanto fez, como faz.
Estamos tramados de qualquer maneira.
Um beijo e gracejo?!

folha seca disse...

"Combate à corrupção em Portugal está abaixo do esperado num país desenvolvido"

País desenvolvido?
Abraço
Rodrigo



Anónimo disse...

Apenas mais um assunto que vai acabar por cair em saco roto. Já estamos habituados. Mais do mesmo.

Lídia Borges disse...


O crime compensa (em especial o de "colarinho branco") e como tal o "polvo" está activo e de boa saúde. Infelizmente, não se pode dizer o mesmo da Justiça que se deixa submeter à força dos seus tentáculos.

Lídia

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Tal como nas questões da bola, nunca percebi bem o que é isso do sistema.
Arrisco no entanto dizer que a consequência do sistema é ganharem sempre os mesmos, talvez por estarem mais apetrechados ( no caso da política) para desenvolver a arte do gamanço.

maceta disse...

Julgamos que isto é um circuito fechado, mas, como se vê, para lá das fronteiras bem nos topam as fraquezas...

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Rogério, vc vê que passa século, entra era, sai ano e vem eleição e dá sempre no mesmo.
Poder, dinheiro e sexo, dizem, os grandes corruptores do homem.
bj grande

Isa GT disse...

Eles iam lá aprovar leis anti-corrupção... o presente Sistema é a Máfia legalizada... estão bem assim... nada melhor que poder fazer as leis em self-service... as deles.
Agora ainda estão melhor que antes, têm a desculpa da U.E., do BCE, da Troika e puseram-nos na penúria com dívidas e mais dívidas que não fomos nós que fizemos...
Mas isto não vai rebentar só em Portugal, como já disse aqui há muito tempo isto está na viragem para outro paradigma, mais doloroso porque vai ser mesmo à força... quando está tudo podre... cai de podre porque já não há cola que segure.

Bjos

quem és, que fazes aqui? disse...


Sabe? Não quero acreditar no que aí poderá vir! E não digo porque é muito mau mesmo.

Beijo

Laura

Graça Sampaio disse...

"...maior fiscalização por parte do parlamento..." Ihihihihi! Deixa-me rir!

Está-nos na massa do sangue - uma pena, uma vergonha!

jrd disse...


Se o poder corrompe, é imperioso e urgente criar um poder diferente.

Graça Pereira disse...

Uns mais iguais do que outros...mas todos iguais!!! E não retiro uma letra!
Bom feriado.
Graça