24 agosto, 2012

Globalizar afectos, juntar vontades de múltiplos lugares e cantares... 2


Há uma outra globalização a construir...
Num corpo só, o meu
Coabitam  
Uma alma Celta, que se inquieta
Um coração Luso, que pulsa
Um sangue Mouro,  que desperta
o coração Luso, a Alma Celta
para uma unidade que quero perfeita

Que faça o Mundo, 
como esse meu querer.
Eu ajudo, no que puder 
Rogério Pereira