01 agosto, 2012

Ser feliz? A outra interpretação (a que faltou, por parte de quem comentou)


Se  ninguém se deu conta da foto a sépia, falemos então do seu negativo...

Saramago (não esqueçam que sendo saramaguiano, o cito de vez em quando) escreveu "Tentei não fazer nada na vida que envergonhasse a criança que fui". Terá morrido na tranquilidade de pensar ter conseguido o resultado desse desiderato. E, se assim foi, diria que partiu feliz. Evito, na minha escrita, seguir-lhe formulas e estilo, mas dou comigo (tantas vezes) a copiar-lhe o pensamento, coisa que, como sabemos, é mais fácil de defender de eventual acusação de plágio. Quando escrevi que ser feliz "é saber olhar para trás e saborear a memória" estava tentando dizer isso mesmo. Queria dizer, ou deixar passar esse mensagem subliminar e de orgulho mal escondido, de não ter feito nada que nem me envergonhasse a mim, nem a criança que fui. 
Nesse anterior escrito, havia outra referência  a essa felicidade sentida, mas que me é servida nos seus serviços mínimos: o ter alguém (ah, este maldito sentido de posse) a quem não gosto de fazer esperar. É que em troca ela me conforta e dá alento. Alento para em cada dia poder encarar, com a força necessária, este mundo. E qual mundo? Este, que você vê (vê mesmo?) e eu vejo. Vejo sem olhar para o lado, nem que seja por um bocado...


Video "roubado" a Manuela Araújo, do "Sustentabilidade é acção"

14 comentários:

folha seca disse...

Caro Rogério
Ser feliz nos tempos que correm, com as incertezas do presente com a miséria que já se vê à nossa volta e visionando o video que nos deixou, não é nada fácil e pegando num dos seus ultimos posts só com alguma dose de "loucura" à mistura.
No entanto se percebi a ideia, eu sou um homem feliz pelo que fui, pelo que fiz, pelos passos que dei, mesmo que não fossem todos certos e isso aumento a felicidade porque os soube corrigir.
Abraço meu caro!
Rodrigo

Fada do bosque disse...

É Rogério... de consciência limpa e tranquila, quem se ama ao lado, ganhamos "arcaboiço" para olhar em todas as frentes e por vezes, até nos admiramos por sermos assim...

Deve pensar quem me conhece no virtual, que não passo de carrancuda e lunática, aí sim, o engano é dos maiores, se há coisa que faço é sorrir... um dia sem o fazer, é um dia estragado e não se estraga o tempo que passa.

Também vejo muita coisa, Rogério que abala qualquer ser sensível com escrúpulos. Aguente aí firme! Passe a mensagem.

Um beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

vejo coisas que não quero ver, e ignoro outras tantas pois não preciso de as ver.

a felicidade são momentos e sabendo gerir esses momentos todos podemos procurar a nossa felicidade.

um texto muito actual e que gostei de ler.

obrigada1

um beij

Rosa dos Ventos disse...

Explicado assim fui de facto egoísta! :-))

Abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Muita gente não poderá olhar para trás, porque lhe pesa a consciência.
Mas continuo na minha... ser feliz é também olhar em frente com esperança no futuro. Coisa difícil or estas paragens, nos dias que correm...

Graça Sampaio disse...

Este é um mundo do cão! O vídeo é horrível!

shan-Tinha disse...

é difícil perceber que é assim quando se está numa posição confortável, se bem que às custas do próprio suor temos uma vida boa, também como pessoa comum vivemos como reza a cartilha dos bons costumes, temente a Deus, mas fora da nossa alçada conseguiremos sim mudar o mundo para melhor, com nosso esforço e vontade, talvez não cheguemos a ver a grande mudança, mas é com cabeças pensantes como essa do video que acredito que deve existir em cada canto do mundo outros tantos e então um dia o mundo será um lugar de paz, de igualdade, de amor entre os homens de boa vontade! és um desses e te admiro de montão Rogerio!!!

Lídia Borges disse...

Vemos como pode ser pequeno o Homem perante a monstruosidade da sua "obra". E como vai essa pequenez vencer agora o Gigante?

Ainda que ninguém possa estar "descansado", a consciência de se fazer o melhor, naquilo que é controlável para nós, pode dar-nos uma sensação de felicidade, necessária e saudável.

Um beijo

Adelaide Araçai disse...

Sabe Rogério, vejo a felicidade, enquanto uma escolha pessoal...onde escolho ser feliz e tento mostrar aos que estão ao meu entorno que a vida é feita de fatos, mas a felicidade é feita de escolhas.

Tento educar minha filha (e toda minha familia - os mais velhos é mais dificil...rsrs) com valores maiores, do que os impostos pelas mídias, sem afastá-las da sociedade.

Divulgo a felicidade plena, como uma valorização de momentos que normalmente esquecemos de observar, como um abraço, uma palavra de carinho, assistir ao por do sol (receber felicitações pelo meu aniversário vindos de Portugal..rs).
A gente tem que ser feliz apesar de tudo isso. E tentar mudar o nosso meio, aqueles que estão ao nosso redor.

Infelizmente esse vídeo continuará verdadeiro, daqui a 100 anos, pois pobreza e miséria dá lucro. E ganancia é uma constante na humanidade.

Muita luz e Paz
Abraços

Ana Tapadas disse...

Grata explicação, com a qual concordo no essencial (não fora essa da Manta Rota e de eventuais encontros imediatos...). Beijocas

Sonhadora disse...

Meu querido Rogério

A felicidade é feita de pequenos momentos que devemos prender nas mãos e com a consciência em paz que fizemos o melhor que sabemos e podemos.
Mas é tão difícil nos dias que correm em que as injustiças são a cada passo e DEVEMOS não virar a cara para o lado mas enfrentar os problemas...e temos tantos!

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Manuela Araújo disse...

Olá Rogério

Escolher ver é sem dúvida uma decisão dolorosa que nos retira do conforto e nos perturba. Mas como se pode mudar alguma coisa para melhor se se ignorar o que está mal? Como construir a felicidade apoiada num mundo de ficção quando, mesmo antes de ver, sentimos que algo está muito mal no nosso mundo? reduzindo-o? Nada disto é fácil e não sei respostas. Não sei definir a felicidade, e nunca o tentei. Mas sinto que ignorar não contribui nem para a própria felicidade nem para a das gerações que nos seguem. Contudo, somos animais, parte integrante da natureza, e como tal, apesar da consciência, temos as nossas defesas, essenciais: defendemo-nos por dentro com o sentimento de utilidade, de contribuir de algum modo para a felicidade de alguém; defendemo-nos por fora apoiando-nos no carinho dos que nos são queridos; defendemo-nos enxergando e brindando as coisas boas e belas do nosso mundo; mas, apesar de não conseguirmos abarcar toda a complexidade do mal que nos rodeia, não nos defendamos ignorando-o, mas entendendo as suas causas e combatendo-as. Não é fácil...

Como diz o Rogério, "Vejo sem olhar para o lado, nem que seja por um bocado..."

e peço desculpa porque já falei demais

Um abraço

Maria João Brito de Sousa disse...

Vejo tudo isso, sim, Rogério... se o não visse que outra razão me levaria a poetar compulsivamente durante tanto tempo?
Dizer que sou feliz num mundo destes passa sempre por conseguirmos dar o nosso melhor para o denunciar. Para mim, passa... e eu faço-o como posso e sei.

Abraço grande!

OceanoAzul.Sonhos disse...

O video é chocante mas mostra a realidade, infelizmente.
É bom que se veja com olhos de VER.

Cabe a cada um de nós divulgar. A felicidade constroi-se, não em cima da desgraça alheia, mas com o respeito, honestidade e ajuda ao próximo.

Um abraço Rogério
cvb