28 agosto, 2012

"O desemprego na construção atingiu um máximo histórico em 2012 e o setor perde atualmente 90 postos de trabalho por hora". (Expresso)


Agora, nem as "boas práticas" de Chaplin nos valem...

Para além deste atrevimento de avinagrar coisas sérias, não deixo de  sublinhar que no meu anterior escrito (Maio de 2010) estava isto dito:
A política de crédito da banca contribuiu para o atraso e estagnação do país e consequente nível de desemprego (+/- 700 mil desempregados):
- apenas 7,3% do crédito foi concedido à agricultura, pesca e indústria
- 78,1% foi para a construção, habitação, imobiliário e consumo
Agora é um dos sectores que foi mais beneficiado que cai a pique. Resultado? Nem agricultura, nem pesca, nem indústria, nem (por consequência) consumo interno. Vai ser... um inferno!