01 janeiro, 2010

As perguntas que o Expresso não fez - I


Cem perguntas. Excelente ideia e bem ilustrada. O texto ocupa 6 páginas, que devorei. Contudo, não fez algumas perguntas cujas respostas incomodam todos os que aguardam que a verdade concorra para alterar este estado de coisas. Lá terei que amanhã fazer o meu exercício de identificação avinagrada. Hoje, fico-me por comentar uma única pergunta: a 86ª. A fome vai acabar? Pasmo com a parte final do texto. Lá se diz: “…os países mais ricos ou populosos, da Arábia Saudita à Índia ou Coreia, multiplicam as compras e os alugueres de terrenos agrícolas na África e na América do Sul, gerando tensões locais”. Isto não branqueia as responsabilidades que os países ricos têm sobre a situação actual? Não haveria aqui lugar a uma outra pergunta, do estilo “Regresso a novas formas de colonialismo perpetuam a fome?”