12 agosto, 2010

A fisiologia do cérebro explica muita coisa - III

REQUISITOS PRÉVIOS PARA A LEITURA DESTE POST: Não há! Contudo, terá vantagens em consultar os posts anteriores caso queira desenvolver trabalho de igual valor cientifico ou dar os seus contributos para a compreensão dos comportamento dos homens, num mundo pautado por comportamentos incompreensiveis (as mulheres ainda são um caso à parte).

A imagem refere-se à "Rogériografia" de um cérebro anormal, idade adulta, representando a grande maioria dos cérebros dos homens portugueses (por questões metodológicas assumo que representará também a grande maioria das mulheres, as quais podem não se rever nesta minha assunção)

VISÃO GERAL - É uma alegria olhar para esta Rogériografia. Nada de dois hemisférios diferentes (só atrapalhariam). Nada de zonas pensantes (pensar é cansativo). Os processos lúdicos, das artes, da cultura, da observação, do amor, da amizade estão lá todos espraiando-se em viçoso verde. Verde até em zonas onde se esperaria verificar-se alguma massa cinzenta. Por essa razão os processos de reflexão, de pensamento profundo e de acção consequente não existem (como podem verificar na imagem). Os processos existentes são, na sua grande maioria, processos de alto nível, pelo que aparentam ser um cérebro normal embora não o sendo.

A inexistência de processos pensantes, normalmente localizados no hemisfério esquerdo, retira a este cérebro qualquer capacidade de memória. Desta, apenas existe uma pequena, tipo RAM, que habilita os portadores destes cérebros à uma actividade aparentemente normal. Esta falta de memória reflecte-se em tudo.

Na vida familiar esquecem-se que a tem. Filhos? A sua memória RAM dá para os mostrar, brincar com eles, mas porque esta memória é volátil, esquecem-se de os educar. Quanto aos pais, só se lembram deles durante o período em que deles precisam.

Vida profissional? Estão na maior. Senhores de elevada simpatia e humores empáticos ascendem facilmente na carreira. Frequentemente fazem dos colegas inocentes patamares de trepadeira mas... falha-lhes a memória de como começaram.

Actos cívicos? Vão a todas. Os cartazes e a campanha lembra-os de votar. Esquecendo que há 4 anos votaram "naqueles"e não se lembrando o que "aqueles" fizeram nos últimos 3 anos e meio, votam "naqueles" ou votam noutros que se pareçam muito com "aqueles" (não porque tenham memória, a sua orientação é sensitiva, gostando particularmente de "boas figuras", bem falantes e que ofereçam bugigangas ao gosto de um marketing bem profissional).

São, mesmo quando estão sisudos, portadores de boa disposição. Afirmam que se comovem frequentemente sem que alguma vez lhes tenha observado uma lágrima. Só riem por duas razões: por tudo e por nada e são abertos a abraçar causas (sobretudo se forem virtuais...).

ANÁLISE DETALHADA DOS HEMISFÉRIOS - Missão impossível pois tudo é feito da mesma massa encefálica que, como já escrevi, se espraia de maneira amorfa compreendendo tudo aquilo que num cérebro normal funciona num só hemisfério.

AVISO IMPORTANTE

Qualquer eventual identificação entre o descritivo desta Rogériografia e o que se passa na sua cabeça ou é mera coincidência ou prova a fiabilidade das minhas tecnologias inovadoras.

CONTINUA

8 comentários:

Isa GT disse...

Tem muita razão quando abre excepção para as mulheres que têm um cérebro onde não há falta de memória, bem pelo contrário, às vezes, até têm demais ;)
Trepadeiras são a grande complicação, este país virou uma selva com tanta trepadeira, agora para limpar, talvez à catanada.
Quanto ao viçoso verde, tenho sérias dúvidas, está tudo a virar cor de cinzas ;)

Bjos

maiuka disse...

Desta vez entendi à primeira leitura.

Li também o comentário da Isa.

Acho que está quase tudo em cinzas porque, como a rogériografia explica perderam-se valores da família, do trabalho, da intervenção cívica. Perde-se a memória do que somos e do que andam por aí a fazer. O grande mal é que estes parecem de facto os cérebros dominantes os tais que elegem os outros cérebros anormais. Não é assim, Rogério?

Beijinho

folha seca disse...

Caro Rogério

Quando se "estuda" só a determindada altura é que as coisas começam a fazer sentido e a encaixar uma nas outras, de facto como disse a "maiuka" agora deu para perceber à primeira leitura.
O meu caro fez uma abordagem ao comportamento humano duma foram excepcional...
O Damásio que se cuide.
Abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

segui o conselho e comecei a ler as Rogeriografias desde o início. Este seu estudo aturado, fez-me pensar se não devo voltar a exercer Psicologia, que sempre pensei teer trocado em boa hora pelo jornalismo. Bem, mas isso foi há mais de 20 anos e entretanto muito mudou. Especilamente nas duas últimas semanas.
PS: Fico muito honrado por me ter arrolado como testemunha e, depois de ver que tenho como companhia pessoas por quem tenho garnde estima ( especialmente pelo meu amigo BB), fiqui mesmo babado.
Um grande abraço e bom fds.

ariel disse...

Sem dúvida que que só pode ser devido à fiabilidade das tecnologias inovadoras. A metodologia empregue é determinante!
:)))

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Meu caro Rogério:
Mais logo, cerca da uma da manhã de sábado, vou-lhe dar uma pista para poder desenvolver a Rogeriografia feminina. Até lá...

ematejoca disse...

Com o fim-de-semana à porta e, portanto, com a perspectiva do merecido descanso, o Rogério deixa-me uma sugestão para ocupar algum tempo do meu fim-de-semana, desfrutando de bons momentos de leitura sobre a fisiologia do cérebro masculino.

Não se meta a desenvolver a Rogeriografia feminina, mesmo com a ajuda do Carlos, porque o cérebro feminino é muito mais complicado do que o masculino, e
é preciso muitos anos de estudo para o compreender...

Rogério Pereira disse...

Desculpem amigos

HOJE (ontem) FOI DIA DE FESTA
CANTARAM AS NOSSAS ALMAS
AO MENINO DIOGO
UMA SALVA DE PALMAS

Iéaaaah!

(os comentários a estes comentários, serão inseridos em próximos posts...)