17 agosto, 2010

O quarto poder

Ela é boa e má,
ou antes,
é boa para os poucos,
que são seus amantes.
É má para quase todos,
e a quase todos engana,
tornando-os cegos ou loucos...
É bela,
dispensa fartos favores
aos seus senhores,
que a querem só para sí,
não para a amarem, como aparenta.

Não se queixa de qualquer sofrer
ela sabe que é o quarto poder


Quem expõe, como eu faço, esta "mulher" desnudada e se atreve a fazer tão graves acusações tem que apresentar provas mínimas, uma que seja. Pois bem, eu provo. Ela foi má para a classe de professores (como tem sido) colocando títulos, fazendo um alarido que o "google" não engana ao buscar tudo o que é jornal com o facto publicado em grandes "parangonas". Foi boa para a banca, pois por lucros exorbitantes, a imprensa foi discreta, como o foi relativamente ao valor e taxa aplicável à colecta para efeitos de imposto. Aqui o "google" também não engana ao ir buscar meia dúzia de notícias em meios de reduzida projecção...

Fazendo contas, o lucro registado pelos 5 maiores bancos portugueses em três dias daria para pagar aos cerca de 174 mil professores (dados pordata referente a 2008) as horas extraordinárias "indevidas" e ainda sobrava muito dinheiro. Sei que as contas não devem ser feitas assim, porque o ganho dos professores (63 €/ano) terá sido ilegítimo e o sector financeiro tem toda a legitimidade em ter lucros. Pois, mas então paguem os impostos devidos. Se apenas pagam 4%, porque é que aquela senhora não o diz?