10 dezembro, 2011

A CPLP... Porque não faz parte de um Plano B? (6)

Vou acrescentando nomes. Hoje um poeta, (re)conhecido há bocadinho ["A gente não faz amigos, reconhece-os.", disse Vinicius}. E foi o que aconteceu. Porquê colocá-lo nesta interrogação sobre o Plano B? Leia o poema abaixo e responda-me você...
.

Como iremos dar de nós algum sinal

como iremos dar de nós algum sinal
exaltando de repente a madrugada
a fazer-se em tons de anil e quase nada
sugerindo o ressurgir de um madrigal?

ou tentar então unir o que é diverso
como soltar de nós a voz no tempo incerto
como trazer o sempre longe bem mais perto
e vesti-lo de coragem nalgum verso?

que o porvir não se faz de mãos fechadas
sem abrir essas mãos à vida acesa
que desperta os horizontes e alvoradas

uma estrada haverá tenho a certeza
por sabermos outrossim das mil estradas
que se abrem pela mão da Natureza.
Quase sempre quem um poema lê,
vê sempre mais do que o poeta imagina que se visse.
Isso por vezes é bom, por vezes é uma chatice 
(neste caso não parece que o seja. E se for...)