21 fevereiro, 2013

...e o PIB, pumba... contudo, há 16 anos que isto era previsto!

Diário de Noticias de hoje
Não há bruxedos e por isso não há bruxos... nem adivinhos. Se há quem consiga prever é apenas porque usa a memória, sabe da poda, sabe olhar para ver e pensar e, sobretudo, conhece as teias que o diabo tece:
...E quando se questiona o Governo sobre as consequências para o nosso aparelho produtivo, para as pequenas e médias empresas não exportadoras, ou sobre quem vai pagar os custos operativos da introdução do “Euro”, cada Banco, ou mesmo no pequeno comércio a resposta é inevitavelmente a mesma: não há outro caminho, não há outra solução. Depois quando o desemprego explodir (...) então lá teremos as desculpas dos constrangimentos externos… A verdade é que o Governo do eng. Guterres e o PS, irmanados com o PSD, decidiram desde o princípio que o País tem de querer a moeda única e o Tratado de Maastricht. E é a esse querer unilateral e autoritário que o eng. Guterres e o Governo apelidam de “desígnio nacional” ...
... A moeda única é um projecto político que conduzirá a choques e a pressões a favor da construção de uma Europa federal, ao congelamento de salários, à liquidação de direitos, ao desmantelamento da segurança social e à desresponsabilização crescente das funções sociais do Estado.»  
Carlos Carvalhas, Secretário-geral do PCP «Interpelação do PCP sobre a Moeda Única», 1997