27 fevereiro, 2013

Medo, medos... (5)

 Cá em casa, um livro está fazendo sucesso , "O Livro Dos Medos". Já lhe foi lido normalmente e detrás para a frente, mil vezes. A tal ponto que ele já sabe, em todas as páginas, todas as frases e, em cada frase, todas as palavras. Contudo, a quem encontra pede sempre (e novamente): lê. Hoje calhou-me a mim e ele me escutava como se ouvisse pela primeira vez. Distraidamente, saltei uma linha em frente e de pronto ele corrigiu... Não posso deixar de me interrogar o porquê, se ele fixa coisas com a capacidade impressionante de, depois, quase sempre muito depois, repetir com tino e com o sentido acertado, o que ouvira uma única vez.
Foi então que descobri, com aquele ar triunfal de quem descobre a pólvora: "Ele já teve todos os medos que estão escritos no livro, o livro além de falar de medos fala dele próprio e dos seus sentimentos, é isso!" (há livros assim!)
Depois da descoberta, fiz agenda: amanhã terei de lhe falar de coragem e mostrar-lhe coisas sobre outros medos, não para que os perca, mas para que possa enfrentá-los e, sei lá, talvez até vence-los...
 
Outros escritos sobre o tema: aqui, aqui, aqui e também aqui

11 comentários:

Gisa disse...

Aqui em casa era assim, mas com A Branca de Neve...
Um bj

Rosa dos Ventos disse...

O meu neto ainda não entrou na fase dos medos!
E como não tem medos não tem a noção de perigo!

Maria João Brito de Sousa disse...

Adorei os "gafanhotos fritos com molho de joaninha"! :))

Esses medos parecem-me vencidos... deixa-o digeri-los bem, primeiro. Outros virão...

Abraço grande!

JP disse...

Eu acho que ando agora na fase dos medos....porque não os perdi todos na infância. Só pode. Mas coragem acho que tenho,sem me contradizer.

Abraço

Mar Arável disse...

Tenho medo de quem tem medo
medo de quem medos tem
medo de mim mesmo
quando o combato
e reconheço

jrd disse...

O pior dos medos é o "medonho" futuro que querem impor às nossas crianças.

Graça Sampaio disse...

Os gaiatos são assim. E nós ficamos de boca aberta com as suas estranhezas e perplexidades. Que também as têm!
Uma delícia, os netos!

Beijinhos para o menino dos "medos" (ah! e para o avô também...)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Quem por estes dias tem medo sou eu, mas não vou ceder sem luta.

Lídia Borges disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lídia Borges disse...

Há livros que têm o "dom" de ir ao encontro dos anseios das crianças, dando resposta às suas questões mais íntimas.

Um livro para crianças é uma coisa tão séria, tão séria que, até hoje, não publiquei nenhum dos meus contos, embora os leia por aqui e por ali. Sei que agradam, não sei se formam sem formatarem.

Um beijo

Rogério Pereira disse...

Lidia, vou explicar seu medo ao meu neto