03 dezembro, 2013

Se_mentes... Não faz mal, o sonho é uma mentira querida e a realidade uma mentira imposta

Chegou pelo correio, porque não pude ir. Olhei o volume. Voltei a olhá-lo e pu-lo de lado. Aguardei o momento para a emoção.
Chegada a hora, abri e li:
"...uma amizade, que floresceu, como o alecrim, no monte. Sem necessitar de cuidados, adubos, artifícios..."
30/11/2013
Lídia Borges
Nem pensar revelar toda a dedicatória, mas não posso esconder o que tanto desejo: ver a amizade a proliferar por aí, como o alecrim.  
Sementes daqui já temos, agora basta-nos um pequeno sopro, um pouco de vento...  e esperar que a amizade se espalhe e vá por aí...


São reflexões poéticas, diz-me ela...
Desamparados de céu e terra, os homens afundam-se
até à raiz na água turva da própria contradição
divididos entre a angústia de terem preço
e a esperança da libertação
Lídia Borges, in "Sementes daqui", sem titulo, pág. 20