15 dezembro, 2013

Geração sentada, conversando na esplanada - 44 (Meu deus, quanta indulgência...)

(ler conversa anterior) 
"Desemprego é vergonha colectiva" 
Gonçalo M. Tavares, numa cavaqueira à maneira
imagem retirada da net
Contive-me. Minha Alma e Meu Contrário decidiram num momento e Eu desisti de ir. Fiquei a pouca distância, e todos eles lá estavam como costumavam. Ao meio, o meu lugar vazio. De que falariam hoje? As professoras certamente dos tais exames... ou do jantar de Natal marcado para os humilhados, ofendidos e sem-abrigo... ou de Mandela... ou de tudo isso. O senhor engenheiro falaria sobre coisas que os humanos partilham nas conversas com rafeiros e daria, por certo, ao seu dócil cão metade do bolo do costume... Olhei-os de longe sem a preocupação de me ocultar. Na verdade até, no meu intimo, desejava que me vissem e que se interrogassem sobre o meu afastamento.
Minha Alma reviu a posição inicial e segredou-me ao ouvido- "vai lá!" - Meu Contrário deu-me idêntico empurrão e Eu não disse que não, fui. Fiz longo o curto caminho dando tempo para burilar as palavras que iria usar em torno da indulgência por parte de quem tem o poder de mudar o mundo e se enreda em palavras frouxas, passivas e, por isso, coniventes...

(Falei disso, mas fiquei sem saber se me deram grande atenção.)

10 comentários:

JP disse...

Desemprego é uma vergonha, mas dizem por aí, não sei se nalguma esplanada, que está a descer a olhos vistos e que somos o país com melhores índices de empregabilidade atual...indulgências a quem, aqui?

Abraço

Graça Sampaio disse...

Este "governo" foi o pior que nos aconteceu desde o tempo da "santa" Inquisição! Pior que os Estado Novo, dadas as circunstâncias e o tempo histórico em que nos movemos. Uma vergonha! Um desconsolo! Um sufoco! Dá vontade de pôr uma granada em S. Bento em dia de conselho de "ministros"!

Fernando Santos (Chana) disse...

Tempos houve em que a Igreja ocupava o lugar central das cidades. Hoje esse lugar é ocupado por um banco. Espero que um dia seja ocupado por uma universidade....
Cumprimentos

jrd disse...

É preciso acabar com a vergonha de ter vergonha é preciso reagir.

Rosa dos Ventos disse...

Eu estou a perder as forças! :(

Abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Estive há dias numa outra esplanada com esse senhor. Devo confessar que me parece pessoa genuína, embora concorde com a conivência.

Maria Eu disse...

Mas o desemprego serve tão estes propósitos da competitividade, do ser "contra o outro" e não "com o outro"!

Beijinhos Marianos! :)

Lídia Borges disse...


Há um desânimo que alastra perigosamente.
Saber que seis em cada dez portugueses, para pagar as despesas com a habitação, fica sem meios para se alimentar, já não é só um problema para a Cáritas ou outra qualquer instituição de caridade resolver. Não sei quem o disse, mas disse bem:"isto é uma guerra". Onde estão os soldados da Justiça e da Paz?

Bj

luís rodrigues coelho Coelho disse...

...e o desânimo cresce perigosamente. Quando quiserem parar será certamente tarde demais...

Como diz a Graça só mesmo um bomba naquele sítio na hora certa....

Tétisq disse...

a pobreza, nalguns casos,não é material é de espírito. Mal comum na direita portuguesa