19 novembro, 2014

Carlos do Carmo e as palavras mais belas que alguma vez o mundo terá ouvido

 Para ouvir, clique em RTP 1976
Não sei se o Carlos do Carmo logo, falando do seu trabalho, falará da repartição da sua vida e do pão. Não sei se agradecerá ter-lhe, o fado, traçado o feliz destino de ter dado voz às palavras mais belas que algumas vez o mundo terá ouvido. Não sei se agradecerá a todas as vozes que lhe agradeceram a carreira de uma vida inteira e se fará referência a gestos canhestros ou à omissão caseira de gente que não presta. Só quero assinalar que foi por sua voz que ouvi a melhor definição para o que julgara indefinível - o amor - nessa "Estrela da Tarde" que nos povoa a memória.
Esta a minha homenagem, para além da espuma dos dias que por vezes tolda o passado.

6 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Um grande senhor em todos os sentidos!

Maria Eu disse...

Comove-me, sempre.

Beijinhos Marianos, Rogério! :)

AFRODITE disse...


Deixaste-me com um enorme sorriso ao aqui chegar :)

Eu sempre fui, desde muito nova, grande apreciadora dos Festivais da canção e apesar de em 1976 ter apenas 9 anos, lembro-me perfeitamente deste festival. Na altura sei que achei uma seca ser o Carlos do Carmo a cantar as canções todas levadas a concurso... e lembro-me perfeitamente de não ter gostado da canção vencedora, "Uma flor de verde pinho". Porém nessa noite, duas canções ficaram-me para sempre gravadas na minha mente... a canção "No teu poema" de José Luís Tinoco e a "Estrela da Tarde" de Ary dos Santos. Hoje, passados estes quase 40 anos, esta canção faz-me estremecer sempre que a ouço...


Beijinhos em sintonia
(^^)

Fê blue bird disse...

Costumo dizer que há pessoas que nos fazem um grande favor em não gostar de nós.

Carlos do Carmo não precisa do agradecimento do PR pois está muito acima dele, em tudo!


beijinho

Elvira Carvalho disse...

Gosto do Carlos do Carmo. Da sua frontalidade. Do que disse de Portugal, e de como o disse, na sua língua.
Um abraço

Tétisq disse...

gostei que tivesse resistido à tentação de falar na língua dos gringos...