10 novembro, 2014

"O próprio Stravinsky gostaria certamente de ouvir isto"


Dizia à Maria Eu, eu a ela, que tinha o condão de ver o som e que isso era tão bom. Disse-me que eu era poeta. Não sei se o sou. Apenas me lembrava de ter visto "o pássaro de fogo" e o que se vê num abraço, a seguir a um improviso. Só isso!

Este vídeo é reeditado
 e, hoje, o título 
é de um comentário lá deixado

12 comentários:

Olívia disse...

Fico muitas vezes sem palavras perante as coisas belas. Preciso de silêncio para as ouvir, para as ouvir.

Bj.

Majo disse...

~ ~ ~ Muito interessante. ~ ~ ~

São disse...

A beleza tira-nos a voz, muitas vezes.

(Só que o conceito de beleza varia...)

Rosa dos Ventos disse...

Tenho muita pena de não saber tocar piano!
Sente-se a beleza!

Fê blue bird disse...

Não sei se o próprio Stravinsky gostaria de ver, sentir e ouvir isto, mas eu gostei bastante.

Dois génios juntos só para dar numa coisa bela.

beijinho

Agostinho disse...

Juntar estes dois só pode resultar. Apesar de terem crescido com formações diferentes têm em comum o génio e a música para se entenderem.

maceta disse...

O Palma é genial.

Elvira Carvalho disse...

Cheguei aqui por acaso, e deparo logo com um post soberbo. Valeu a visita.
Um abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

que belo!

:)

ana disse...

Delicioso.:))
Gostava de ter visto o espectáculo de Jorge Palma no CCB.

Mas... há coisas que só em Lisboa.
Boa noite e bem haja por este momento.:))

Tétisq disse...

acho que consegui ver o som e sentir o tal pássaro neste intercâmbio blogosférico...

MARILENE disse...

Aplaudo. Um show e tanto. Abraço.