17 março, 2016

"Lula é nomeado e crise agrava-se: milagre precisa-se" ou as razões porque a RTP não contratou Carlos Fino


Carlos Fino, em tempos idos reconhecidamente competente, quando em 2012 bateu à porta da RTP levou com ela na cara e regressou ao Brasil por que todas as outras portas lhe terão feito o mesmo. A RTP sabe que ele anda por lá mas em vez de o colocar, com a sua independência, a reportar de Brasília (ou de outro qualquer lugar de lá) a televisão pública, em serviço combinado com a Rede Globo (que faz campanha activa contra o Governo de Dilma), coloca um tagarela a repetir, com sotaque lisboeta o que os comentadores da Globo, da Veja e do "Estadão" vão debitando.
Hoje, prescindo  a custo da minha fonte privilegiada (Conversa Afiada) e passo a palavra à escrita do repórter: 
«O fundo da argumentação de um lado e do outro é moral e jurídico, mas todos sabem que o que está em causa é a política – o controlo do poder do Estado por este ou aquele grupo – ainda que com a promessa de ambos de que irão resolver os problemas do país.
O levantamento do segredo de justiça por Sérgio Moro para poder revelar uma conversa da presidente da república com Lula, no preciso momento em que este aceitava integrar o governo, assim escapando à sua jurisdição, é manifestamente um acto de cariz político não isento, por mais justificação jurídica que se apresente.
Moro, ainda que se sentisse ofendido nos brios por ver escapar-lhe um investigado – que aliás ainda nem sequer é réu, porque não foi acusado de nada – podia, com efeito, ter-se limitado, como lhe competia, a endossar o processo para a instância superior que agora assume as investigações, dado que Lula passou a ter foro privilegiado – o Supremo Tribunal de Justiça.»
E sabem de onde este texto foi tirado? Do Jornal Tornado, claro! Que outro jornal nacional podia acolher uma opinião independente?

12 comentários:

pvnam disse...

MAIS CAPACIDADE NEGOCIAL PARA OS CONTRIBUINTES/CONSUMIDORES!

Golpes palacianos, dinheiro dos contribuintes usado para tapar 'buracos' na banca, etc, etc, etc... ANTES QUE SEJA TARDE DEMAIS, há que reinvidicar:
- mais capacidade negocial para os contribuintes/consumidores!
.
O contribuinte não pode ir atrás da conversa dos parolizadores de contribuintes - estes, ao mesmo tempo que se armam em arautos/milagreiros em economia (etc), por outro lado, procuram retirar capacidade negocial ao contribuinte!!!
Mais, quando um cidadão quando está a votar num político (num partido) não concorda necessariamente com tudo o que esse político diz!
Leia-se, um político não se pode limitar a apresentar propostas (promessas) eleitorais... tem também de referir que possui a capacidade de apresentar as suas mais variadas ideias de governação em condições aonde o contribuinte/consumidor esteja dotado de um elevado poder negocial!!!
.
.
Caso 1:
O CONTRIBUINTE TEM QUE SE DAR AO TRABALHO!!!
-» Leia-se: o contribuinte tem de ajudar no combate aos lobbys que se consideram os donos da democracia!
---»»» Democracia Semi-Directa «««---
-» Isto é, votar em políticos não é (não pode ser) passar um cheque em branco isto é, ou seja, os políticos e os lobbys pró-despesa/endividamento poderão discutir à vontade a utilização de dinheiros públicos... só que depois... a ‘coisa’ terá que passar pelo crivo de quem paga (vulgo contribuinte).
-» Leia-se: deve existir o DIREITO AO VETO de quem paga!!!
[ver blog « Fim-da-Cidadania-Infantil »]
.
.
Caso 2:
CONCORRÊNCIA A SÉRIO!!!
Não há necessidade do Estado possuir negócios do tipo cafés (etc), porque é fácil a um privado quebrar uma cartelização... agora, em produtos de primeira necessidade (sectores estratégicos) - que implicam um investimento inicial de muitos milhões - só a concorrência de empresas públicas é que permitirá COMBATER EFICAZMENTE A CARTELIZAÇÃO privada.
[ver blog « Concorrência a Sério »]
.
.
.
P.S.
Outros Direitos que já há alguns anos (comecei nos fóruns clix e sapo) aqui o je vem divulgando:
---1--- O Direito à Sobrevivência de Identidades Autóctones:
-» Os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins... que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
-» Pelo Direito à Sobrevivência das Identidades Autóctones - ver blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
---2--- O Direito à Monoparentalidade em Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas:
- Promover a Monoparentalidade (sem 'beliscar' a Parentalidade Tradicional, e vice-versa) é evolução natural das sociedades tradicionalmente monogâmicas - ver blogs http://tabusexo.blogspot.com/ e http://existeestedireito.blogspot.pt/.

Gisela Isaacsson disse...

A situação por aqui anda confusa. Esperam-se acertos.
Um bj querido amigo.

Elvira Carvalho disse...

Sem conhecimentos para comentar, tal situação, limito-me a ler.
Um abraço e bom fim de semana

anamar disse...

Contudo , tenho assistido na RTP2 às comunicações de <Carlos Fino, nas noticias das 21h, como correspondente de Portugal em Bra´silia.


Quanto ao Tornado, ainda bem que gosta... :)
Bom fim de semana.

Graça Sampaio disse...

Lá como cá. O que é preciso é lançar trampa sobre as esquerdas por esse mundo fora para que as direitas ultra-neoliberais ganhem terreno... Assustador!

Rogerio G. V. Pereira disse...

Os temas que veio trazer
nada têm a ver
mas tá bem...

Rogerio G. V. Pereira disse...

Cara amiga, não me espanta que veja a situação confusa
se anda tanta gente a espalhar a confusão... para mim, à distância, é tudo muito mais claro...

Rogerio G. V. Pereira disse...

Vá lendo, ouvindo e vendo...
já recomendava a nossa Sophia

Rogerio G. V. Pereira disse...

Assustador!

cid simoes disse...

Entre 2004 e 2012, Carlos Fino foi conselheiro de imprensa da Embaixada de Portugal no Brasil, como recompensa do seu anti-sovietismo desbragado. Está reformado e no bem-bom.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Acabo de ler
artigo
do Carlos Fino
que confirma teu aviso

Registo, e estarei mais atento

Rogerio G. V. Pereira disse...

anamar
essa
deixei escapar

obrigado pelo aviso