06 março, 2016

Ser ou não ser, eis uma não questão

 https://3.bp.blogspot.com/-GZejKCnJclY/VtyBEy5xWVI/AAAAAAAAF2c/eVRHZ0pzvQg/s400/Bandeira-PCP.jpg
Foi como se não bastasse
tudo quanto nos fizeram
como se não lhes chegasse
todo o sangue que beberam
como se o ódio fartasse
apenas os que sofreram
como se a luta de classe
não fosse dos que a moveram.
Ary dos Santos, 
"Bandeira Comunista"
Neste dia, em 1921, os trabalhadores decidiram que estava
na hora de criar o seu próprio partido.
Hoje, 95 anos depois, cá estamos. E a luta continua!

14 comentários:

Anónimo disse...

Um dia com um enorme significado!

Forte abraço!

Maria João

Elvira Carvalho disse...

Foram muitos anos de luta. Muitas vidas sacrificadas. E a luta ainda não acabou.
Um abraço e uma boa semana

Margarida Alves disse...

Rogerio G. V. Pereira disse...

Um dia de bilhete de identidade
de bolo na mesa
com velas,
nas empresas, ruas, praças e vielas
onde a luta continua

Rogerio G. V. Pereira disse...

A luta não acabou
A luta não acaba
Pára quando parará
A exploração a quem trabalha

Rogerio G. V. Pereira disse...

Coisa pequenina, essa
mas estou certo
de que crescerá forte e depressa

Majo disse...

~~~
PARABÉNS.
~~~~~~~~~

manuela baptista disse...

95 anos e 1 dia, feliz para o seu partido


um abraço, Rogério

Rogerio G. V. Pereira disse...

Obrigado, Majo

Rogerio G. V. Pereira disse...

A felicidade para o meu partido
repercute-se em toda a gente,
mesmo em quem não lhes seja querido

Rogerio G. V. Pereira disse...

usei o endereço que me enviou
mas bati com a porta na cara

ou tem a "casa cheia"
ou a "morada" está errada

Elvira Carvalho disse...

Está a entrada do Barreiro cheio de bandeiras vermelhas. Pensei que era uma evocação do aniversário em 1935, mas decerto será pelo aniversário do partido.
Abraço

Agostinho disse...

Quem o é não deve nada
pode sair à rua livre
sempre de cara lavada

Rui Gomes disse...

Lutar sempre, que é o destino de quem vê a riqueza criada ser levada por quem nos governa. E quem melhor do que o meu partido defende o povo. Que dobre os 95 na companhia dos meus descendentes.