20 março, 2018

Mia Couto, a sua Carta e uma Moção de Censura a lembrar a data


Invasão do Iraque pelos EUA completa hoje 15 anos de assinalável impunidade. Lembro eu uma carta de Mia Couto, da qual extraio esta parte, logo no inicio: 
Senhor Presidente:

Sou um escritor de uma nação pobre, um país que já esteve na vossa lista negra. Milhões de moçambicanos desconheciam que mal vos tínhamos feito. Éramos pequenos e pobres: que ameaça poderíamos constituir ? A nossa arma de destruição massiva estava, afinal, virada contra nós: era a fome e a miséria...
(...) Pois eu, pobre escritor de um pobre país, tive um sonho. Como Martin Luther King certa vez sonhou que a América era uma nação de todos os americanos. Pois sonhei que eu era não um homem mas um país. Sim, um país que não conseguia dormir. Porque vivia sobressaltado por terríveis factos. E esse temor fez com que proclamasse uma exigência. Uma exigência que tinha a ver consigo, Caro Presidente. E eu exigia que os Estados Unidos da América procedessem à eliminação do seu armamento de destruição massiva.
Por razão desses terríveis perigos eu exigia mais: que inspectores das Nações Unidas fossem enviados para o vosso país. Que terríveis perigos me alertavam? Que receios o vosso país me inspiravam? Não eram produtos de sonho, infelizmente. Eram factos que alimentavam a minha desconfiança. A lista é tão grande que escolherei apenas alguns:

- Os Estados Unidos foram a única nação do mundo que lançou bombas atómicas sobre outras nações;- O seu país foi a única nação a ser condenada por "uso ilegítimo da força" pelo Tribunal Internacional de Justiça;

- Forças americanas treinaram e armaram fundamentalistas islâmicos mais extremistas (incluindo o terrorista Bin Laden) a pretexto de derrubarem os invasores russos no Afeganistão;

- O regime de Saddam Hussein foi apoiado pelos EUA enquanto praticava as piores atrocidades contra os iraquianos (incluindo o gaseamento dos curdos em 1998);- Como tantos outros dirigentes legítimos, o africano Patrice Lumumba foi assassinado com ajuda da CIA. Depois de preso e torturado e baleado na cabeça o seu corpo foi dissolvido em ácido clorídrico;

- Como tantos outros fantoches, Mobutu Seseseko foi por vossos agentes conduzido ao poder e concedeu facilidades especiais à espionagem americana: o quartel-general da CIA no Zaire tornou-se o maior em África. A ditadura brutal deste zairense não mereceu nenhum reparo dos EUA até que ele deixou de ser conveniente, em 1992;- A invasão de Timor Leste pelos militares indonésios mereceu o apoio dos EUA. Quando as atrocidades foram conhecidas, a resposta da Administração Clinton foi "o assunto é da responsabilidade do governo indonésio e não queremos retirar-lhe essa responsabilidade";

- O vosso país albergou criminosos como Emmanuel Constant um dos líderes mais sanguinários do Taiti cujas forças para-militares massacraram milhares de inocentes. Constant foi julgado à revelia e as novas autoridades solicitaram a sua extradição. O governo americano recusou o pedido.

- Em Agosto de 1998, a força aérea dos EUA bombardeou no Sudão uma fábrica de medicamentos, designada Al-Shifa. Um engano? Não, tratava-se de uma retaliação dos atentados bombistas de Nairobi e Dar-es-Saalam. - Em Dezembro de 1987, os Estados Unidos foi o único país (junto com Israel) a votar contra uma moção de condenação ao terrorismo internacional. Mesmo assim, a moção foi aprovada pelo voto de cento e cinquenta e três países.
- Em 1953, a CIA ajudou a preparar o golpe de Estado contra o Irão na sequência do qual milhares de comunistas do Tudeh foram massacrados. A lista de golpes preparados pela CIA é bem longa.- Desde a Segunda Guerra Mundial, os EUA bombardearam: a China (1945-46), a Coreia e a China (1950-53), a Guatemala (1954), a Indonésia (1958), Cuba (1959-1961), a Guatemala (1960), o Congo (1964), o Peru (1965), o Laos (1961-1973), o Vietename (1961-1973), o Camboja (1969-1970), a Guatemala (1967-1973), Granada (1983), Líbano (1983-1984), a Líbia (1986), Salvador (1980), a Nicarágua (1980), o Irão(1987), o Panamá (1989), o Iraque (1990-2001), o Kuwait (1991), a Somália (1993), a Bósnia (1994-95), o Sudão (1998), o Afeganistão (1998), a Jugoslávia (1999).
- Acções de terrorismo biológico e químico foram postas em prática pelos EUA: o agente laranja e os desfolhantes no Vietname, o vírus da peste contra Cuba que durante anos devastou a produção suína naquele país.

- O Wall Street Journal publicou um relatório que anunciava que 500 000 crianças vietnamitas nasceram deformadas em consequência da guerra química das forças norte-americanas.

A 17 de Março de 2003 o PCP avança com uma moção de censura

1. O PCP regista a atitude digna e responsável do Conselho de Segurança da ONU (já conhecida através de declarações do Embaixador inglês da ONU) de não ajoelhar face ao ultimatum e à chantagem dos EUA e dos seus acólitos europeus que, de forma clara e iniludível, ao longo dos últimos meses sempre apenas reservaram para a ONU o papel de submisso notário dos projectos de agressão e dos planos de guerra há muito concebidos e decididos pela Administração Bush. 
O crime não só continua impune como desencadeou uma série de outros...

8 comentários:

Maria João Brito de Sousa disse...

Sim, o crime continua impune e abriu portas a muitos outros crimes.

Partilho deixando o abraço de sempre.

Graça Sampaio disse...

E já passaram quinze anos? Parece impossível! Como impossível parece a série quase interminável de atrocidades apontadas pelo escritor moçambicano... Mau de mais! :(

Rogerio G. V. Pereira disse...

Os que baralham, omitem, manipulam
são coniventes
ou, no mínimo, criminosos por negligência

Rogerio G. V. Pereira disse...

Teria sido relevante
ler os termos da moção de censura

Elvira Carvalho disse...

Passaram quinze anos e melhorou alguma coisa? A mim parece-me que só piorou. A sede de poder dos EU, não tem fim.
Abraço

Rogerio G. V. Pereira disse...

Quinze anos é a idade em que todos os radicalismos terroristas assumiram a idade adulta

os EU e a UE, depois de os criar,
passaram-lhes atestado de maioridade

Anónimo disse...

Semeiam a paz os nossos aliados, Coreia, Vietname, Afeganistão, Iraque, Líbia...
Falo com o homem do café e rendo-me de raiva perante a sua reverência à democrática América
A guerra do Iraque sujou irremediavelmente o futuro, agora presente e sempre...
um abraço em paz com Pata Negra

samnio disse...

A incompreensão entre povos, leva a disparates, com consequências graves, que não são nem podem ser "Danos Colaterais". O Homem tem apenas e só de se respeitar e respeitar os outros. Se assim fora, todos os dislates desta natureza, não passariam de nada.
cumprimentos