31 março, 2018

A dignidade que dou à Páscoa

 túmulo de Cristo

A dignidade que dou à Pascoa inibe-me de dar e receber coelhinhos e até mesmo de desejar que seja feliz.  Fico-me pelos desejos, sinceros, de Boa Pascoa e, assim, respeito a forma como cada um a sente e celebra. Refiro, com frequência ser ateu sempre com aquela ironia avinagrada que sublinha sê-lo, graças a Deus.

Mas vamos ao que me trouxe:

Quando um homem morre, mesmo que tenha tido projeção por palavras e obras e por isso tenha sido temido pelos poderes da sua época, pode acontecer não ser esquecido e perdure na memória.
Mas se o mesmo homem vier a ser um mártir por proclamar a igualdade e por resistir ao poder, mesmo que Pilatos lave daí as suas mãos, pode acontecer o que veio a acontecer: uma mudança no curso da História, com o fim do esclavagismo e a queda do Império Romano. É essa a dignidade que dou à Páscoa, o que não me inibe de gostar... de amêndoas.

«(...) é inegável o carácter progressista das doutrinas estóicas sobre a igualdade natural de todos os homens e, concretamente, pelo menos a partir do séc. I a.C, sobre a dignidade dos escravos. Cícero, por exemplo, ensina que todos os homens, conjuntamente com os deuses, formam uma só sociedade «una civitas communis». Séneca defende energicamente o conceito de fraternidade humana: «membra sumus corporis magni; natura nos cognatos edidit» e proclama expressamente a igualdade entre livres e escravo. Estes são qualificados de «contubernales» e «humiles amici» e os senhores exortados a «servis imperare moderate».

No entanto estas belíssimas afirmações ficam apenas no campo da filosofia. Como observa Chateaubriand, «o estoicismo escreveu um capítulo com letra de ouro para a abolição da escravatura, mas só no campo da filosofia». (...)Nem sequer Marco Aurélio, um imperador estóico, «philosophiae plenus», apesar da sua grande actividade legislativa, deixou qualquer lei nova que mitigasse a condição dos escravos.

Tudo isto mostra, talvez, que a filosofia estóica não pretendia ser traduzida em normas jurídicas nem aspirava a atingir a consciência da grande massa. Como filosofia elitista, tendia a agir sobretudo no íntimo das consciências. Pelo menos, é um facto que nunca penetrou no campo jurídico e que foi muito reduzida a sua repercussão na consciência social da época.
Factor mais influente foi, sem dúvida, o Cristianismo. Ao contrário da filosofia estóica, apresentava-se com toda a força própria duma religião; não se orientava a atingir apenas uma pequena elite culta, mas a converter todo o povo, a transformar toda a vida e a ser norma pessoal e social do agir. Por isso a sua propagação no Império determinou uma notável mudança na consciência social e teve, sobretudo no séc. IV, grande repercussão no Direito Romano.

Julgamos que isto é hoje absolutamente inegável. Mesmo os autores com uma visão materialista da história têm de aceitar que houve, pelo menos, uma coincidência entre a afirmação progressiva do Cristianismo na sociedade romana e essa mudança que se operou na consciência social e no Direito, no referente à escravatura.»
in "O CRISTIANISMO E A ESCRAVATURA
NO IMPÉRIO ROMANO" um trabalho que 

13 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Estou quase totalmente em sintonia consigo. Só que eu é mais pão de ló :-)

Janita disse...

Assim como a dignidade que o Rogério diz conferir à Páscoa o não inibe de gostar de amêndoas, a bem da igualdade de direitos e gostos, não vejo porquê recriminar quem dignifique o espírito pascal e goste de coelhos de chocolate.
O resto referente à queda do império romano, à escravatura e a tudo o mais que aconteceu após Pilatos ter lavado as mãos desse e de outros crimes hediondos, por puro medo de perder o poder, creio que ficariam melhor num outro contexto que englobasse a filosofia referida aqui. Morrer por uma ideologia, seria o tema apropriado.

Um abraço com todo o respeito que sempre me mereceu, bem como me merecem as suas ideologias políticas, Rogério.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Curioso
Iria jurar
que esse era exatamente o bolo
mais apetecido pelo Pôncio

Rogerio G. V. Pereira disse...

Janita, não recrimino
até digo que respeito
(só a mim me inibo
essa coisa do coelhinho)

dou mais atenção a Cristo

E já agora BOA PÁSCOA
querida amiga

Maria João Brito de Sousa disse...

Novamente de saída, voltarei amanhã para ler cuidadosamente o teu trabalho em PDF.

Entretanto, sempre te digo que os coelhinhos não são exactamente coelhinhos. São lebres. Ou melhor é uma lebre - símbolo de fecundidade - que Ostera (Eostre ou Ostara), deusa da mitologia teutónica que representa o renascimento, a ressurreição e a renovação, contempla, segurando um ovo. E Ostera apareceu muito, muito antes de Jesus.

Raros, muito raros, são os episódios bíblicos que não foram beber das fontes da mitologia pagã e que não ganharam corpo a partir das suas raízes.

Esse dito coelhinho de Páscoa, não é uma moderna excentricidade histórica como o Pai Natal. Penso que já o saberias, mas aqui fica para os eventuais leitores que o desconhecessem.

Quanto a Jesus, quanto ao imenso respeito que nutro por esse homem, apenas te digo que também ele é meu irmão.

Forte abraço

Rogerio G. V. Pereira disse...

Boa!
Mas sempre te digo que já sabia disso e que tais origens são desonhecidas por quem mais as usa.
São representações de apelo a ninhadas... usadas por muitos que na prática até as rejeita...

Anónimo disse...

Concordo consigo, nunca a Páscoa esteve tão afastada do exemplo de vida de Jesus e do cristianismo genuíno porque já nada é o que a maioria das pessoas pensa que é.
Os seres humanos receberam uma forma falsa de cristianismo para mantê-los espiritualmente adormecidos.
Sobre as crenças e comportamentos característicos dos "cristãos" falsos, a diferença é como entre a noite e o dia, Programados para não saberem sobre o que realmente significa ser um cristão autêntico, com um guia moral de comportamento que nada tem a ver com as caixinhas onde nos querem meter para melhor nos separar.
Um trabalho de longo tempo, com origens bem identificadas, de uma pequena elite que, para nos poder controlar globalmente, precisa de caos, não de pessoas que respeitem e ajudem os seus irmãos.

Quanto às origens pagãs de coelhos e ovos até li um bom artigo no Guardian, bom para aqueles que já só vêem coelhos, ovos e amêndoas (eu não comi nenhuma delas):
https://www.theguardian.com/commentisfree/belief/2010/apr/03/easter-pagan-symbolism

O Tipo de Mundo para onde caminhamos vai ser um retrocesso civilizacional mas nada como ouvir uns discursos no Parlamento Europeu onde Deputados até podem falar de coisas que não passam nos meios de comunicação mas que também não servirão de nada porque será sempre bom repetir que também eles foram criados para mais um engano das massas ao votar em pessoas que não podem Propor nem Vetar Leis.

https://www.youtube.com/watch?v=KCLDfBbOMj4&feature=em-uploademail

Este discurso tem a ver com o passo seguinte da Agenda que nada tem a ver com Paz ou os ensinamentos de Jesus mas com sofrimento e caos, mais em conformidade com o campo completamente oposto de uma elite de não eleitos que, tão próxima do controlo Total já nem tenta esconder que segue Lúcifer.
A grande maioria nem sequer percebeu que estamos numa batalha espiritual entre o Bem e o Mal com consequências práticas bem reais nas suas vidas e, quem não tiver algo que o guie nas suas acções nem vai perceber como vendeu todos os seus direitos e conquistas civilizacionais.
Tem sido um processo "em fogo lento como matar caracóis", uma lenta inversão de todos os valores e de conduta moral.

Já passámos o paradigma de nos arrumarmos em "caixinhas" porque o tempo começa a escassear e temos mesmo de nos juntar de outra maneira.

“The only thing necessary for the triumph of evil is for good men to do nothing.” - Edmund Burke
(A única coisa necessária para o triunfo do mal é que os homens bons nada façam)

isa

Anónimo disse...

Quando as pessoas ouvem os vários discursos no vídeo, não sabem distinguir os homens bons por causa da falta de conhecimento dos pormenores mais importantes que se passam "nos bastidores" como por exemplo a ligação de Guy Verhafstadt a George Soros via Opebn Society.

Qual o cristão que se lembrará:
"Entretanto, ninguém poderá acusar {o povo}, nem o repreender, mas eu censuro a ti, ó sacerdote."
"porque o meu povo se perde por falta de conhecimento"...
Oséias

Já agora, os "cristãos" também deviam saber que Jesus não nasceu a 25 de Dezembro e que têm andado a celebrar Todas as festas satânicas e nem o 1º de Maio escapa:
01/05: Beltane ( No hemisfério norte, no sul ocorre nessa epoca o Samhaim ) - Ritual de sangue e festival de fogo e rituais sexuais.
Quando eu uma vez lhe disse que não há coincidências... não há mas, a Verdade pode ser tão assustadora que muitos preferem ignorar ou nem querer saber.
25/04: Grande Climax - Sacriíicio de uma mulher que pode ser uma criança, ritual sexual e de fertilidade.

Se as pessoas "acordassem" da "programação", e vissem como, há séculos, a sua percepção da realidade tem sido corrompida e manipulada, haveria uma verdadeira revolução espiritual e seria a única maneira do Mundo mudar para melhor mas, entre desaprender e aprender tudo de novo, mais depressa entram em Dissonância Cognitiva.

isa

Rogerio G. V. Pereira disse...

De acordo
excepto num ponto:

"Deputados até podem falar de coisas que não passam nos meios de comunicação mas que também não servirão de nada porque será sempre bom repetir que também eles foram criados para mais um engano das massas ao votar em pessoas que não podem Propor nem Vetar Leis."

Não que este extrato esteja incorreto, mas é injusto vir escrever isto assim, a mim!

Usei Burke para dar titulo ao meu post de logo...

Rogerio G. V. Pereira disse...

É isso
Isa

Anónimo disse...

Há muitas coisas em que concordamos e até sei exactamente o ponto que nos separa e, para lhe explicar isso, eu teria de recuar, pelo menos, até ao tempo de Constantino quando, à força, reuniu os líderes espirituais da altura para criarem uma religião "adequada" às massas, onde foram censurados textos da Bíblia, acrescentados outros e completamente eliminados e suprimidos centenas de textos e Livros de informação espiritual e de conhecimento esotérico.
(Esotérico, o verdadeiro conhecimento místico guardado para grupos restritos e privilegiados que foi usado, por uma facção, para escravizar as massas, até aos nossos dias, passando para as massas apenas o conhecimento "autorizado", o exotérico isto, para exemplo de como as palavras podem baralhar os incautos. Neste caso basta mudar um s para um x, quanto mais, perceber que, assim, foram criados intermediários, para nunca mais se poder aceder ao Verdadeiro Conhecimento.)

Dito isto, eu não quero substituir "donos" pois não se pode obedecer simultaneamente às leis dos homens e aos ensinamentos de Jesus que foi crucificado, precisamente, por não ter aceitado a autoridade dos homens.

Os verdadeiros cristãos, se ainda os houver depois de tanto corromper e manipular, presentemente, terão o maior desafio porque, cada vez querem controlar mais, todos os aspectos das nossas vidas portanto, estar no mundo mas não pertencer ao mundo e tentar praticar em acções o que manda a nossa Consciência Moral está, cada dia. a ficar mais difícil.

Se há alguma palavra que se possa aproximar, eu diria que Jesus foi o mais perfeito anarquista que há na História e, como ele, não houve nem há mais nenhum.
Eu nunca poderia "esticar" tanto os conceitos e pôr os 12 apóstolos no Comité Central ;)
(aqui espero que tenha sentido de humor porque, nos tempos que correm precisamos das Verdades que nos unem e não de sacerdotes que nos separam)

isa

Se quer saber um dos "textinhos" acrescentados na Bíblia e vai entendê-lo na perfeição:
Romanos 13
1Obedeçam às autoridades, todos vocês. Pois nenhuma autoridade existe sem a permissão de Deus, e as que existem foram colocadas nos seus lugares por ele. 2Assim quem se revolta contra as autoridades está se revoltando contra o que Deus ordenou, e os que agem desse modo serão condenados. 3Somente os que fazem o mal devem ter medo dos governantes, e não os que fazem o bem. Se você não quiser ter medo das autoridades, então faça o que é bom, e elas o elogiarão. 4Porque as autoridades estão a serviço de Deus para o bem de você. Mas, se você faz o mal, então tenha medo, pois as autoridades, de fato, têm poder para castigar. Elas estão a serviço de Deus e trazem o castigo dele sobre os que fazem o mal. 5É por isso que você deve obedecer às autoridades; não somente por causa do castigo de Deus, mas também porque a sua consciência manda que você faça isso.
6 É por isso também que vocês pagam impostos. Pois, quando as autoridades cumprem os seus deveres, elas estão a serviço de Deus. 7Portanto, paguem ao governo o que é devido. Paguem todos os seus impostos e respeitem e honrem todas as autoridades.

Estou mesmo a ver Jesus a repetir isto aos pobres e escravizados ;)

Rogerio G. V. Pereira disse...

«(aqui espero que tenha sentido de humor porque, nos tempos que correm precisamos das Verdades que nos unem e não de sacerdotes que nos separam)»

Se der por qualquer um, sacerdote ou sacrista, que meta pau na roda da nossa relação, diga.
Por mim, farei igual denúncia

(tenho aqui material para mais 400 posts)

Anónimo disse...

Janita
Nem o Império romano acabou, nem a escravatura, nem os crimes hediondos, nem o poder de homens que subjugam outros homens e, o pior de tudo é haver escravos mais escravos que os escravos, por nunca chegarem a saber que são escravos (os melhores deles todos).

Se a bem da igualdade, os seus direitos se resumem a escolher entre amêndoas ou coelhos de chocolate e se pensa que Jesus morreu por uma "ideologia", posso-lhe garantir que ainda sofre as consequências do Primeiro Concílio de Niceia em 325 que eliminou qualquer conhecimento que falasse de espiritualidade, naturalmente tudo proibido pela classe dominante.
(não misturar espiritualidade com "espiritualidade" New Age, mais uma manobra, para confundir os que estão a "acordar")
Alguns dos conceitos censurados incluíam qualquer menção à reencarnação da alma ao longo de várias vidas, a idéia da conexão livre de cada indivíduo ao Criador e a igualdade da mulher com os homens no Direito de Ensinar o Conhecimento Espiritual.
Apenas algumas coisas entre as muitas que foram censuradas, alterando todo o corpo das primeiras informações de textos gnósticos do cristianismo primitivo conhecidas como Biblioteca de Nag Hammadi.
Como se não fosse um revés suficiente para o pensamento filosófico cristão inicial, seu golpe mais devastador seria o abastardar das escrituras, acrescentando ao cânone finalizado "provisões inimigas" completamente falsas.

Podem parecer coisas antigas mas, se o Mundo está ainda com tudo o que mencionei mais acima, foi um trabalhinho de séculos e que poucos imaginam a sua influência na programação a que foram sujeitos.
Hoje, 40 anos de pesquisa científica onde cientistas começam a não poder negar a própria reencarnação, se verdadeiros conhecimentos científicos actuais não chegam às massas, continuando a ser substituído por falsa ciência só aqui, ficava sem espaço para escrever meia dúzia das falsidades, digamos que entre passado e presente, a ignorância tem servido muito bem os objectivos de uma minoria que já possui a riqueza equivalente a 75% de tudo o que é real neste Planeta e, aos escravos, até pagam com papel pintado porque, como até conseguiram acabar com o padrão ouro, o Cartel há séculos no Poder, só tem de teclar uns números ou dar-lhe uns pedacinhos de papel que só representam Dívida, um assunto para escrever 500 comentários e, sobre isto de "papel pintado", já por aqui comentei.
Desfiar séculos de corrupção e manipulação não cabe em caixas de comentários e, cada um tem de investigar por conta própria, porque contado é demasiada informação que só se pode digerir, se for tomada em colheres de chá para não dar um curto-circuito no nosso computador biológico que já andam a tentar fazer download para um chip e, se não acredita, veja a nova empresa do "testa de ferro" Elon Musk porque, até vai ser fácil roubar a alma a quem não souber que a tem.

https://www.theverge.com/2017/3/27/15077864/elon-musk-neuralink-brain-computer-interface-ai-cyborgs

Para as massas, lhe garanto, até vão acabar os coelhos de chocolate e tomara nós que fosse só isso.
isa