21 dezembro, 2018

Hoje, o Jornal da Tarde (RTP1) dedicou a uma não-noticia 21 minutos...


A marcha começou quando passava pouco das 15h30. Dos quatro pontos de partida definidos pela CGTP (Restauradores, Martim Moniz, Santa Apolónia e Cais do Sodré) saíram milhares de pessoas empunhando cartazes “contra as desigualdades e o empobrecimento” em direção ao ponto de encontro no Terreiro do Paço.

A chegada à Praça do Comércio, inicialmente marcada para as 16h00, deu-se com mais de uma hora de atraso, graças à fortíssima afluência, que fez mesmo com que Arménio Carlos classificasse a manifestação como “a maior jamais vista em Lisboa nos últimos 30 anos”. 

Foi quando foi necessário que fosse (Fevereiro de 2012) e o Bruno lembrou-o hoje:
«Já participei em manifestações com centenas de milhares de pessoas, vindas de todo o país, desde Trás-os-Montes ao Algarve, inclusivamente alguns vindos da Madeira e Açores, que foram praticamente invisíveis na comunicação social.
Uma delas, sem quase ser anunciada na véspera pelas TVs e jornais, juntou cerca de 200 mil pessoas, que visibilidade teve? Nos telejornais da noite, por exemplo, a maior reportagem teve menos de 60 segundos, em que 3/4 da reportagem foi a falar sobre um canídeo levado por um manifestante.
Hoje, abro três jornais online, todos eles levantam o braço aos coletes ao darem um especial destaque na primeira página com novidades ao minuto!»
Acrescento eu
Hoje, o Jornal da Tarde (RTP1), dedicou a uma não-noticia 21 minutos de recorrentes e ilustradas afirmações "eram mais os policias que os manifestantes".

3 comentários:

Maria João Brito de Sousa disse...

Confesso que não tive paciência para ver a detalhada reportagem até ao fim.

Se eu esperava uma maior adesão por parte dos coletes amarelos? Não, sinceramente não esperava.

Também estive na tal manifestação dos duzentos mil - ou mais... - de que o Bruno fala e, como ele, não me recordo de nenhuma reportagem da RTP, na altura. A não ser a dos tais sessenta segundos...

Abraço e, apesar de tudo, Boas Festas.

Joaquim Silva disse...

Portugal: DESTROYER OF CIVILIZATIONS!

Everywhere Portugal set foot, they ended up wipping-out all the Indigenous peoples living there! Not a very friendly colonizer!!

Portugal is a racist and xenophobic society! And, NOT a safe place for blacks!

SAY NO TO PORTUGAL TODAY!

Maria Eu disse...

Polícias e comunicação social fizeram a manif!
Enfim!

Boas Festas, Rogério! :)