15 agosto, 2010

Homilias dominicais (citando Saramago) - 2

Publicado em 26 países, a sua obra chega a todas as partes do mundo em muitas línguas. Mas Saramago, que não se escondeu atrás da sua obra, não dispensou o caminho e a caminhada. Apóstolo das suas próprias palavras, leva ideias necessárias a muitas paragens (porque "sem ideias não vamos a lado nenhum")

HOMILIA DE HOJE

AS PALAVRAS NECESSÁRIAS - Todas as palavras são úteis, desde que lhe seja dado o peso certo e o sentido exacto. Descobri isso mesmo há pouco tempo, ao ouvi-lo dizer "Quando digo responsabilidade, quando digo democracia, quando digo ética quero dizer essas palavras com palavras de chumbo". Jurei a mim mesmo passar a dizer tais palavras sempre sem leveza, fugindo à leviana utilização que lhe dariam, por má usura, a banalidade das palavras gratuitas.
A PALAVRA APÓSTOLO - Não só o peso das palavras é determinante. O sentido exacto também faz falta. A palavra "apóstolo", vista por dentro da palavra, torna o gesto dos meus amigos de uma necessidade urgente. Isto porque "Apóstolo" é muito mais, para além do que se afirma ser.“Segundo o dicionário etimológico de José Pedro Machado, a palavra “apóstolo” vem do grego “apóstolos” que significava enviado para longe; enviado; deputado; envio de expedição, particularmente expedição naval.” Que cada um de nós, os novos apóstolos, parta para todos os lugares levando as "palavras de chumbo" de Saramago.
O APÓSTOLO SARAMAGO - Enviado para onde lhe chamava a razão para estar, Saramago esteve presente em mais de meia centena de cidades, por todo o Mundo fazendo conferências e participando em congressos. Também o fez na sua Pátria, como escritor e como cidadão, até porque:"O cidadão que o escritor é não pode ocultar-se por trás da obra. Ela, mesmo importante, não pode servir de esconderijo para dar ao autor uma espécie de boa consciência graças à qual ele poderia dizer que está ocupado e não tem tempo para intervir na vida do país."
APÓSTOLOS PARTIDOS DAQUI - Deste blogue partiram já vários caminhantes. Honram-me com tal missão. Espalham palavras do escritor ou do cidadão. Fecho esta homilia, com o texto escolhido pela mais recente apostola, Teresa HOFFBAUER:

Ich fühle mich in erster Linie als Portugiese, in zweiter Linie als Iberer und erst in dritter Linie als Europäer." ("Eu sinto-me principalmente como Português, em segundo lugar como ibérico e apenas em terceiro lugar como europeu".)

Dar-lhe-ia razão um japonês respeitável, Akira Miwa, por Saramago só colocar a Europa em terceiro lugar:“O interesse do (vosso) Governo está muito voltado para o centro da Europa, o que acho natural. Mas isso traz efeitos secundários.Com esse sucesso europeu, o país tende a esquecer a importância que poderia ter no resto do Mundo, fora da Europa. Sobretudo agora, num momento em que assistimos às dificuldades económico-financeiras em toda a Europa. Penso que o Governo português e o sector privado deveriam repensar sobre a sua dependência um pouco exagerada do mercado europeu.”

Outros apóstolos que editaram textos lembrando José Saramago: