22 abril, 2011

Depois da sede de uma flor próxima da morte, a sede de um homem crucificado

"Eli, Eli, lama azavtani?" (Meu Deus, Meu Deus, por que me abandonaste?)

----------------------------------- Imagem do filme de Mel Gibson "A Paixão de Cristo"
“Depois, sabendo Jesus que já todas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede”...“Estava pois ali um vaso de vinagre. E encheram de vinagre uma esponja, e, pondo-a num hissope, lha chegaram à boca”. ----Evangelho: São João 19:28
È sem dúvida a Biblia um manual de maus costumes, como ontem me lembravam, citando as palavras de Saramago (e que eu relembro aqui). A Biblia diz que Jesus terá dito "Perdoai-lhes Pai, pois não sabem o que fazem". Tal não é expressão de cristão digna de um cristo que com seu gesto violento expulsa os vendilhões do templo. Contradições? Sim, daquelas que levam os povos à resignação. Bem fizeram os escravos e plebeus em se terem revoltado e três séculos depois terem imposto o fim do esclavagismo e a queda do Império Romano. De Cristo, prefiro recordar as últimas palavras, as humanas: "Meu Deus, porque me abandonaste?", sabendo que eu, enquanto parte do meu povo, não tenho perdão se aceitar os vendilhões do templo...