18 abril, 2011

Os gestos para salvar a flor, tornando-a maior - I

Pode o combate à corrupção ser a água de que a Democracia precisa?

A Manuela Araújo, respondendo ao meu apelo, assim pensa: "A minha sugestão para ajudar a democracia é não pactuar com a corrupção, por mais "pequena" e "socialmente aceite" que seja. Nesse sentido, deixo aqui os parabéns ao Micael Sousa pelo seu projecto contra a corrupção. Acho que a corrupção é a pior doença da nossa democracia, e sem a combatermos a sério, a democracia não tem salvação."

Não tenho dúvidas. Só me pergunto qual o percurso mais curto para o menino "levar essa água" à flor carente. Michael de Sousa é generoso, tanto quanto a Manuela, e eu gosto de gente generosa. No seu projecto, ele propõe coisas concretas, nomeadamente que se assine esta petição, mas receio que apenas a generosidade seja água insuficiente. É que eu conheço (apenas uma parte) de como esse flagelo se instalou e como grassa moendo a seiva da Democracia. Sei como a minha deusa Thémis chora lágrimas de sangue por tal tormento e pela impotência em se fazer sentir e intervir. Ela sabe que sem leis justas não há justiça. E sem justiça, num Estado que se pretende de ser "Estado de Direito", nada feito. A corrupção anda a par com a injustiça. Por isso olho para as tentativas de o nosso Parlamento produzir a legislação adequada e dos porquês de terem dado em nada. Porquê as iniciativas do ex-ministro Cravinho ficaram pelo caminho? Porque não passaram as outras antes e depois desta, que se lhe seguiram? As maiorias parlamentares protegem a corrupção. É excessivo afirmar isto? Acho que não!

José, dá contributo importante para que a acção resulte e a flor se salve: "eu tentaria arrancar todas as ervas daninhas, à sua volta, que lhe sugam até a vida." Cortemos então as silvas, votando em gente honesta e não na que, por provas dadas, não presta.

___________________________________________________________

Não sou muito de oferecer selos e coisas assim, mas se quiser levar a minha Thémis para o seu canto, talvez isso lhe amenize o pranto

29 comentários:

ematejoca disse...

Votar em gente honesta, mas onde é que está essa gente honesta, Rogério?

Manuela Araújo disse...

Caro Rogério

Muito obrigada pelo destaque que deu à minha sugestão, e por permitir divulgar o projecto do Micael Sousa contra a corrupção.

Na política, a maioria adia constantemente a luta contra a corrupção, porque essa luta não lhes interessa verdadeiramente. Os interesses são outros.

Quanto a votar, a esperança pode não ser muita, mas há ainda aqueles a quem podemos dar o benefício da dúvida. Outros, já provaram ser ervas daninhas.

Uma abraço e mais uma vez obrigada :)

Rogério Pereira disse...

Teresa
Se ler
Atentamente
Verá
Essa gente!
Mas se teima em não querer ver
Que mais lhe posso eu dizer?

Micael Sousa disse...

Muito obrigado pelas suas gentis palavra e divulgação desta causa e movimento. Tem toda a razão quando diz que a petição não chega e é por isso que o movimento tem sido, à custa de trabalho e dedicação, regado com mais iniciativas e actividades. Mais virão de futuro e conto com todos vocês para que nunca seque este espaço de cidadania.

Micael Sousa disse...

Cara ematejoca. Precisamos de votar em nós. Onde andam os cidadãos, para se ser cidadão é preciso ser politico em parte, se não o próprio exercício da cidadania jamais será completo. Não podemos deixar de participar, e participar não é só votar, participar é ir a votos. Penso que não preciso dizer mais nada, basta-se citar Platão: se não te disponibilizas para a política arriscas-te a ser governado pelos teus inferiores.

Gisa disse...

A corrupção é uma chaga que põe a democracia em terrível sofrimento e com ela toda a segurança do estado de direito.
Combater esse mal consome a grande maioria enquanto uma pequena corja vangloria-se da sua aparente perpetuidade...
Um grande bj querido amigo

ematejoca disse...

"Vivemos num sistema de mentiras organizadas, entrelaçadas umas nas outras. E o milagre é que, apesar de tudo, consigamos construir as nossas pequenas verdades, com as quais vivemos, e das quais vivemos."

José Saramago

Maria João disse...

Rogério

Ainda acredito na honestidade, na capacidade dos Homens que vêem de dentro, o melhor e mais justo caminho para que Democracia não seja uma palavra vã. Ainda acredito que as flores possam ser grandes, sem ervas daninhas e sem seca que lhes atrofie os caules.
O problema é que, no desnorte do vento, as tempestades de areia secam-nos a boca e são um enorme obstáculo para que vejamos, com clareza, a força que a seiva tem.

Um abraço grato

Isa GT disse...

Arrancar... até podemos começar por aí, mas sem tratamento do terreno é quase trabalhar... só para aquecer.

Agora falando muito a sério, estamos num círculo vicioso, sem Justiça para combater os predadores do Estado, o país não se vai endireitar e claro que enquanto estiverem lá instalados, eles não vão aprovar leis contra eles próprios.
Mas qual é o maior problema?
Os Partidos políticos são bons enquanto o poder económico não os quer comprar, porque já percebi que há cada vez menos cidadãos que se regem por valores morais, é tudo uma questão de preço e 98% vende-se ao melhor preço... uma tristeza, ou então, eu é que estou errada e sou, simplesmente uma ingénua, por acreditar que há coisas mais importantes do que o dinheiro.
Há por aí gente que tem dinheiro, para 50 vidas e parece que nunca lhe chega e o problema não é ter dinheiro, são as maneiras de como o obtém e, essas são cada vez mais... criminosas.
Uma grande desilusão viver numa época tão egoísta e vai piorar, a extrema direita tem vindo a aumentar por toda a Europa...

Bjos

flor de jasmim disse...

Caro Rogério
Li com atenção e cheguei a uma concusão: Não comento assino por baixo do comentario da Isa, peço desculpa a ela por isso.
Beijo

José disse...

Olá Rogério!
Obrigado pelas suas palavras, e por ter posto as minhas simples palavras, aqui no seu post.
É verdade nestes últimos anos tenho ocupado parte do meu tempo na jardinagem, e na agricultura, o que me dá bastante prazer, o que custou mais foi limpar o terreno, tirei a junça, a grama, as silvas e penedas
e outras medas,pus tudo numas medas
e dei fogo, a cinza só ao fim de algum tempo é que fertilizou a terra, depois de algumas partículas daninhas terem desaparecido com o vento.

Um grande abraço,
José

AMCD disse...

O desafio lançado é complicado, em particular para aqueles que, como eu, começam a duvidar de existência de tal flor no cume da montanha.

Mas é difícil desviar o curso do rio em direcção ao topo, até porque as águas não conseguem contrariar a força da gravidade. Talvez a solução passe por transplantar a flor para o sopé, junto à margem do rio, se é que a flor ainda lá está.

Há quem diga que já vivemos num período pós-democrático. Se assim é há que semear novamente a democracia.

Cumprimentos.

Sandra disse...

"Cortemos então as silvas, votando em gente honesta e não na que, por provas dadas, não presta."
Já te tinha dito : " NÃO VOTAR SóCRATES" (como aliás nunca o fiz), mas há gente que gosta de carpir e sofrer. Chiça!!!(Perdoa-me a linguagem)
Beijinho

b disse...

Fico com o comentário de Amatejoca.
Saramago era um realista.

Rogério Pereira disse...

O grande risco das imagens fortes, das parábolas, das fábulas e das metáforas é o de se entrar no circulo maravilhoso e vicioso do que se pretende dizer de modo mais anímico e menos cinzento ou duro. Furo o muro. O que se pretendi dizer, reconhecendo verdade ao que a Manuela Araujo disse, ser a corrupção a grande ameaça da democracia é: ENQUANTO PS E PSD TIVEREM MAIORIA, NÃO HÁ LEI QUE COMBATA A CORRUPÇÃO. Não é a minha "pequena verdade" como me insinua a ematejoca. É a verdade dos factos, patente no diário das sessões parlamentares.
Este comentário não ignora contributos relevantes e que não vou esquecer (peço que também não esqueçam). Nomeadamente de AMCD que coloca a questão, antes colocada pelo Puma, de ser outro o caminho: LANÇAR NOVA SEMENTEIRA, POIS ESTA FLOR NÃO FOI PLANTADA EM TERRENO FÉRTIL...

folha seca disse...

Caro Rogério
Creio que há por aqui algumas generalizações que podem criar alguma confusão.
Podemos estar a contribuir para a ideia de que os "puros" estão no partido A e b e os "impuros" estão todos nos partidos c, d e e. Somos suficientemente crescidos e com experiência de vida para saber que concepções deste tipo, já criaram demasiadas tragédias pelo mundo fora.
Conheço gente de todos os partidos. Penso até ter amizades com gente de todos os partidos.
Neles conheço excelente pessoas e grandes filhos da mãe. A corrupção é um problema transversal à sociedade Portuguesa. Será um erro pensar que está concentrada num ou noutro partido. Embora saíbamos que os corruptos se aproximam tanto quanto podem do poder. Seja ele Nacional ou local.
Abraço

Micael Sousa disse...

Permitam-se dizer umas palavras sobre o texto enquanto visado e autor do blogue e petição em causa. As questões tratadas no Movimento anti-corrupção são supra partidárias e estão longe de se remeter apenas para a esfera da política. A corrupção e deficiências éticas são transversais a toda a sociedade. Chegou a altura de assumirmos, enquanto cidadãos, a nossa responsabilidade e papel no combate efectivo à corrupção através dos nossos actos. Com isso não pretendo incentivar as trocas de acusações mas sim a consciencialização, o reflectir de cada um, no que faz ou não faz, para que a pequena e grande corrupção grassem no nosso país. Vamos pensar no que podemos e devemos fazer e não em chutar criticas para cima, ou para qualquer outro lado. Já vimos que isso só nos prejudica e nada resolve. Precisamos de mudar mentalidades, comecemos pela nossa!

Rogério Pereira disse...

Caro Folha Seca,

O problema da corrupção é transversal à sociedade? É! Em todos os partidos há gente assim e assado, frito e cozido? Há!

Mas a questão não é essa. A questão não é de pessoas e se referi o nome de Cravinho é até para dizer que o PROBLEMA DA CORRUPÇÂO ESTÀ NAS ORIENTAÇÔES DOS PARTIDOS. Uns vivem dela, dos compadrios, das trocas de favores, das clientelas e da promuiscuidade entre o estado e a economia. Outros, denunciam-na e querem leis que são chumbadas na "Casa da Democracia". Continuo a responder-lhe na resposta que darei ao Micael Sousa

Rogério Pereira disse...

Caro Micael Sousa,

Claro que quando referi a genorosidade colocada no acto de cidadania que assumiu reconheço a importancia de a corrupção já campeaia por muito dos actos e comportamentos das pessoas o que requer um combate em todos os domínios e por todos os meios. Mas não esqueço que é no dominio politico e legislativo que se encontram as grandes esperanças da mudança. A permissividade começa aí e enquanto o Estado não der, ele próprio, exemplo de equidade e de ética todos os meritórios actos de cidadania estão condenados. A Democracia é feita com os partidos, se eles protegem (objectivamente)a corrupção adeus Democracia. Outra frente de luta é o combate ao papel da imprensa. Sobre isto, se está interessado, escrevi algo que talvez valha a pena conhecer numa situação analisada por mim, ao meu estilo

Só uma nota final. A petição é endereçada à AR e começa por exigir que os deputados se debrucem sobre o problema. Enquanto estes forem os mesmos o resultado da petição está condenada ao fracasso...

folha seca disse...

Caro Rogério
"Há dias assim" Primeiro mostrar a minha concordância com o texto que aqui linkou. Escapou-me por qualquer motivo, eu que em geral não deixo de ler tudo o que publica.
Mas queria só fazer um reparo (se não levar a mal). "A Democracia é feita com os partidos" verdade! Mas não se esgota aí. Aliás penso que a nossa sociedade regrediu por o funcionamente da Democracia ter ficado refém dos Partidos. A nossa constituição prevê outras formas de participação, sendo a petição uma delas. Sim se a maioria dos deputados a reprovar estão lá outros (não se esqueça) que se encarregarão de votar a favor e como diz o poeta "a razão mesmo vencida, não deixa de ser razão"
Abraço

folha seca disse...

E ainda (irra que o gajo está chato)

"Água mole em pedra dura tanto bate até que fura" lembra-se?

Rogério Pereira disse...

Folha Seca,

O uso de todas as prerrogativas constituicionais é um dever de cidadania. Tem toda a razão em referir as petições (que tão maltratadas e abusadas são). Lembro a manifestação. No 25 de Abril, lá estarei...

Quanto ao ser chato, nem tal me passou pela cabeça. A conversa faz-se conversando, aclarando ideias, pois sem elas não vamos a parte nenhuma...

Fada do bosque disse...

"ENQUANTO PS E PSD TIVEREM MAIORIA, NÃO HÁ LEI QUE COMBATA A CORRUPÇÃO. Não é a minha "pequena verdade" como me insinua a ematejoca. É a verdade dos factos, patente no diário das sessões parlamentares." Bravo Rogério!:) No seguimento disto quero aqui deixar um trabalho de pesquisa de um jornalista português de investigação que se chama O Fim Da Democracia de Frederico Duarte de Carvalho. Como gostaria eu que isto fosse divulgado nos Media!Mas não, há censura... e era a forma do Povo ver a podridão que grassa no Bloco Central, desde 25 de Abril.
Quanto à Imprensa...existe em Portugal um Index ou lista negra para jornalistas, extensível a toda a UE, cujo criador foi o President of a European Publisher Council, o Sr. Pinto Balsemão! Até que ponto teremos liberdade de expressão quando centenas de jornalistas, inclusive de investigação, estão no desemprego e nem no estrangeiro podem arranjar emprego? Pessoas que colocavam o poder das ideias, acima das ideias de poder. Agora temos novatos em trabalho precário,sem cursos de R.I., História, etc. mas sim do dito jornalismo, de conteúdo quase ôco e no trabalho precário, salvo excepções que estão ao serviço dos seus patrões e que recebem 30.000 ou mais euros, mensalmente, talvez como "capatazes" na hierarquia interna... Que poderemos saber da realidade dos factos, se a informação não é transparente?! Aqui "mata-se" o mensageiro e entretêm-se as hostes, como em qualquer fim de civilização ou paradigma, há que estar atento! Pegaram fogo ao circo e para quê? para as agências de notação esfregarem as mãos, o povo atar as mãos à cabeça e enganadinhos votam sempre nos carrascos! Apre!!!
Um jornalista do Index: Carlos Narciso
http://altohama.blogspot.com/ Orlando Castro. Mas são muitos. Queria aceder ao Index mas foi removido do blogue de Carlos Narciso. Entretanto este artigo mostra quem manda! E não é que é o militante nº1 do PSD? Domina tudo, com a arma mais poderosa e perigosa do mundo!

Rogério Pereira disse...

Cara Fada do Bosque,

Tenho aqui material para futuros desenvolvimentos. Bem Haja a sí e à sua varinha.
O "Bosque" agradece também.
Estou certo

Micael Sousa disse...

Sim, todas as armas para lutar contra a corrupção têm e devem ser utilizadas. O Movimento Anti-corrupção tem-se centrado mais na consciencialização e combate pela educação e informação por essas nunca terem sido verdadeiramente tentadas em Portugal, e até porque é um tipo de combate positivo. De negativismos estamos fartos por excesso.

Um dos objectivos da própria petição é confrontar os deputados com esta nova perspectiva e propostas. Primeiro há que recolher as necessárias assinaturas, só então e posteriormente veremos o resultado.

O próprio processo de angariação de assinaturas será positivo pois trará este assunto para o debate público, formal e informal. O que seja já uma modo de consciencializar para o problema da corrupção.

Micael Sousa disse...

Quanto aos partidos e a sua atitude face à corrupção está relacionada com a falta de participação política e militância dos portugueses. Carlos Jalali, um investigador de sociologia e ciência política já estabeleceu numa das suas obras esta relação.
Podem ver mais sobre isso em: http://abuscapelasabedoria.blogspot.com/2010/09/algumas-razoes-para-existencia-de.html. Este é o link para o meu principal blogue. Fica a sugestão para aprofundarmos o debate e troca de ideias.

Fada do bosque disse...

Pois é Micael... agora vamos lá saber quem vai combater esta FRAUDE!
Eu bem gostaria de saber! Aqui está um homem com coluna vertebral, a quem os Media e seu dono, Pinto Balsemão, excluem... isto é um exemplo. Há mais Partidos Micael...
Que se pode dizer disto?!

Fada do bosque disse...

Micael... apesar de ser de Braga e não contar a não ser para o INE, garanto que aqui, eu voto na pessoa!
Maldito este Sistema!

Micael Sousa disse...

Cara Helena. Eu voto nos valores, nas ideias e nas ideologias. As caras vão e vêm, os valores não. ;)