12 março, 2012

Na Associação 25 de Abril, lugar onde sempre pensei poder vir a falar deste meu livro...


"... Entre o sonho e o pesadelo fiquei adormecido. De manhã não me lembrava de nada. Sabia apenas que dali a poucas horas iria encetar a minha viagem de regresso a Lisboa. Chegado lá, também iria aguardar um recomeço. Que viria a acontecer, menos de três anos depois, no dia 25 de Abril de 1974."
in "Almas que não foram fardadas", pág.  184

O livro, que assim termina, foi apresentado na passada sexta-feira. Seguem-se imagens, recolhidas pela minha amiga São, a quem tanto agradeço.
As pessoas foram chegando. 
Para uns, a sala estaria meio vazia.
Para outros meio cheia.  
Para mim, estava como era preciso: com um sorriso
.
Autografando o livro à São. Perto, a Emília, antecipava a leitura...  

A mesa, presidida pelo coronel Vasco Lourenço. 
Como eu queria...
Um "capitão" de Abril abriu a sessão. 
Joaquim Boiça (Espaço e Memória)
apresentou-me, com um texto meu, que leu....
.
falou das minhas memórias, de factos. 
Fê-lo com voz sumida  mas com uma energia inesperada. 
Ele sabia bem do que falava...
.
... o que me impediu de entrar directo nos afectos. 
As pequenas 
folhas amarelas e muito queridas, 
acabaram por não serem lidas.
Tive que falar do que o Mário e sua obra significavam para mim...
.
Para a memória dos afectos, das angústias e dos medos estava Jorge Castro.
Leu passagens que escolheu.
Ao ouvi-las, pareciam ganhar outra vida

No final, havia acalorado diálogo e algumas promessas.
Se forem cumpridas, darei conta delas
______________________________________
Reeditado em 13 de Março, às  12 h

20 comentários:

São disse...

Nada ha para me agrdecer, foi uma honra e um gosto poder partilhar este momento consigo, meu caro Rogério.

O meu desejo de grande sucesso, embrulhado numa barço(ainda muito constipado)

Ferreira, M.S. disse...

Caro Rogério,
Uma experiência única! Parabéns!
Um abraço

ariel disse...

Muitos parabéns, Rogério. Essas apresentações estão a tornar-se um must, merecido!

Abraço

Vítor Fernandes disse...

Faço ideia a emoção. Estavas nervoso? Mas o teu livro mereceu e, claro, tu mereceste! Já o li e embora eu nunca tenha sido militar foi um prazer.
Abraço.

Mar Arável disse...

Ainda bem que tudo correu pelo melhor

Abraço

Lídia Borges disse...

Mais um momento (outro) que certamente não esquecerá.
Parabéns, Rogério.
Esse livro merece a receptividade que está a ter.


Um beijo

folha seca disse...

Caro Rogério
Fico feliz pelo desenvolvimento e pela forma como o livro está a ser aceite. As pessoas que a si se juntam atestam da qualidade daquilo que sem dúvidas já podemos chamar uma obra literária (sem qualquer bajulice).
Abraço
Rodrigo

Carlos Albuquerque disse...

Pronto!
Não consegui sustê-las. As lágrimas correram-me pela face ao ver-te na apresentação do teu livro, na nossa querida Associação 25 de Abril, ao lado de Vasco Lourenço (meu companheiro de tantas conversas...) e de outros amigos. Um sonho tornado realidade.
Foi como se de coisa minha se tratasse.
Gostei de ver a nossa amiga São à espera do autógrafo, ela que se encarregou, com jeito e qualidade, da cobertura fotográfica.
Agora debando.Para comoção já chega.
Parabéns Rogério.
Um forte abraço

Ana Tapadas disse...

Obrigada pela partilha e muitos parabéns!


bj

Mel de Carvalho disse...

Sinceros parabéns por mais este dia de partilha.
Fraterno abraço
Mel

Graça Sampaio disse...

Muitos parabéns pelo evento e pelo sucesso. Já tinha visto no blog da São.
Não é para todos; é só para quem merece...

Beijinhos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Parabéns, caro Rogério. Estando pelo Norte não pude estar presente, para lhe dar um abraço, mas espero poder ler o livro em breve.
Abraço

rosa-branca disse...

Parabéns pelo evento e muito sucesso com o livro. O momento ás vezes tarda...mas chega. Beijos com carinho

Fátima disse...

Ah! Rogério, oque posso lhe dizer além de parabéns.. de verdade e com orgulho de você. Parabéns!!

Beijo meu

Jorge Castro (OrCa) disse...

E assim a «conversa avinagrada» assume gosto de mel e malvasia, caro Rogério. Foi e tem sido um prazer acompanhar e participar nesta aventura. Afinal, depois de construído o barco, se nos falta o vento e as correntes são adversas, há que remar para chegarmos a algum lado! Grande abraço.

acácia rubra disse...

Atrasada, mas a tempo de lhe dar um abraço apertado e de lhe dizer que fico à espera de saber das promessas.

Um dia, há de autografar o meu. Vá pensando no que lhe vai escrever, porque o de uma acácia (que viu chegar tantos) não pode ficar sem as suas palavras...

Beijo

Sandra disse...

Muitos parabéns Rogério por este sonho realizado!
Beijinho

BRANCAMAR disse...

Olá Rogério,


Nesta segunda feira tive uma terrível de uma reunião, daquelas enjoativas cuja questão central são as novas políticas de saúde, mais baseadas em números que em pessoas que acabou tardíssimo e que me deixou de rastos.
Como tal, também chego aqui atrasada, mas gostei muito de tudo o que vi e já fui visitar a São.

Fico à espera de mais novidades felizes como esta.

Muitos êxitos.
Beijinhos

Gisa disse...

Mais um momento belo. Estava lá. Pode ter certeza disso.
Um grande bj

Isa GT disse...

Momentos para ficarem na memória.
...ainda não tinha visto as fotos, ando sempre atrasada.

Bjos