31 maio, 2012

...a minha preocupação começou quando meu neto, que é vivo e esperto, deixou de se concentrar no Baby First e no Panda para dar atenção aos anúncios que passam na televisão...

Não é inocente usarem-se crianças para fazer passar
as mensagens que se pretendem convincentes. O video alicia...



...10, 12. 14 horas de trabalho... trabalhar como um cão...


A sociedade civil passou a fazer denúncias e a dar alertas...
... e começaram a aparecer coisas um pouco mais certas

 
... ainda que inócuas (?), as mensagens visam o consumo...



...e só, de quando em vez, cumprem (e bem) objectivos de educação...

12 comentários:

  1. Mas há anúncios que são verdadeiras obras de arte! O 2º que aqui expôs é de uma precisão que até chateia. E o 3º é um espanto de lindo! (Por acaso já o tinha visto) Eu prefiro ver os anúncios na TV a ter de ver/ouvir o Cavaco...

    ResponderEliminar
  2. ... pois

    um dia seremos de novo crianças

    ResponderEliminar
  3. O do automóvel é claramente preciso - consumo;

    O do cinto muito didático.

    Ando sempre a pregar que as aulas seriam mais produtivas e os alunos aprenderiam tudo se fossem musicadas e coreografadas de acordo com a matéria.

    Já imaginou a minha figura a analisar, deixe cá ver, o 'Memorial do Convento' ou a 'Mensagem' e se fosse 'O Gato Malhado'????.

    É que os garotos aprendem tudo quanto é anúncio e não aprendem o que lhes queremos ensinar.

    Ai se o Crato lê este meu comentário... ainda tenho de ir aprender a dançar e a cantar...

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
  4. Problemas da mídia.
    Um grande bj querido amigo

    ResponderEliminar
  5. de tudo o que existe, se vê, temos que ter discernimento, lucidez e passar aos filhos!!! e que eles sejam sábios para continuarem a acertar nas suas escolhas! bj!

    ResponderEliminar
  6. Sem dúvida, muitos são alarmantes...

    O último não conhecia, é extraordinário!

    Abraço Rogério
    cvb

    ResponderEliminar
  7. A maioria dos média são máquinas devoradoras que infiltram nas crianças a sociedade de consumo, guerras e poderes.

    Até os filmes só têm pistolas e mortes e como fazer repressão. São esses os filmes que os adolescentes vêm...
    Até os bonecos animados têm caronhas horríveis!
    Morreu há pouco um grande senhor Vasco Granja que numa época passava bonecos animados sem guerras ou pistolas.

    Vai ser muito difícil para os jovens de hoje, o não poderem consumir coisas, isto muito em breve, como sabem!

    O poder dos mass média é maior que uma boa atitude dos pais ( são técnicas estudadas de verdadeiro marketing.

    Também, em determinada idade os amigos têm mais poder que as possíveis conversas criticas de alguns pais.
    Estar perto deles e ir criticando, ainda será o melhor. Mas, quem são os pais que têm tempo para isso? Se estão sobrecarregados com a lida da casa, ou estão fora dela?!

    Os avós que podem estar presentes é o ideal.
    Para onde vamos...

    Não desistir, nunca!

    ResponderEliminar
  8. Gosto bastante de publicidade bem feita e nunca perco o Festival de Cannes de Publicidade, onde se vêem os melhores anúncios do mundo.
    Faz-se boa publicidade em Portugal.Embora seja suspeito - porque participei na parte criativa de algumas campanhas institucionais- faz-se também boa publicidade institucional. O problema, é que normalmente os gabinetes ministeriais optam pelas propostas mais soft e menos incisivas para " não chocar a opinião pública"

    ResponderEliminar
  9. ..." e as crianças, Senhor?"

    abraço

    ResponderEliminar
  10. Rogério, a mídia é alimentada por corporações que em maioria existem para aliciar, alienar, formar pessoas que agora e no futuro, possam ser presas fáceis desse terceiro poder.
    Importa que nós avós, a família, coloque para eles a realidade - já que sim, as crianças atualmente perdem a inocência muito cedo - já que são de uma geração que em uma semana, recebem a quantidade de informação que gerações passadas levariam meses para receber.
    Só que ao mesmo tempo, elas as crianças, parecem que já vêm com um "chip" diferente - para lidar com o mundo e isso observamos até mesmo na lida com os mais próximos.
    Não podemos protegê-los do próprio tempo mas podemos dar a eles as armas internas para que lidem com isso de modo não-passivo.
    A distância entre nós e os netos é enorme , antropològicamente falando mas ao mesmo tempo, somos ainda referência.
    Abracinhos no neto e sim, no "Mar Arável" que comentou aí.
    Obrigada.

    Barbara.

    ResponderEliminar
  11. Pois, a publicidade e as criancas...

    http://bonstemposhein-jrd.blogspot.dk/2010/05/as-invencoes-do-mercado.html

    ResponderEliminar
  12. A publicidade é uma arte enganosa!
    Claro que há excepções, poucas, mas belas.

    beijinhos

    ResponderEliminar