10 maio, 2012

Redacções do Rogérito - 9 (tema inspirado por José Machado Pais)

Tema da redacção: "Quando falo de autoridade, não falo de autoritarismo, mas de uma ordem capaz de ajudar a valorizar a liberdade como um bem essencial (...)" - José Machado Pais, no Público de hoje (não disponível on-line)
A minha mãezinha que é pessoa sabedora e muito carinhosa não me deixa pôr o pé em ramo verde mas faz tudo com muito jeitinho para eu aprender a ter juizinho e a fazer escolhas sozinho que não sejam escolhas tolas que é aquilo que mais acontece quando as mães deixam fazer tudo aquilo que a gente quer e no fim nem sabemos aprender a gostar nem a aproveitar coisas que não conhecemos e ficamos sempre a querer as mesmas e a ter birras grandes para as ter que até fazem os adultos tremer. 
Por exemplo - que é a exemplificar que é mais mais fácil explicar - quando minha mãe me punha comida no prato e eu torcia o nariz e dizia que aquilo não queria ela respondia "come o que te apetecer e o que não gostares pões à beira do prato" e isso acontecia com uma mão cheia de coisas que já não lembro bem mas há uma que eu ainda recordo e que é o pimento vermelho que agora até adoro. Sempre me servia pimento vermelho e sempre eu dizia não gostar e ela sempre respondia com a mesma resposta que a gente põe à beira do prato quando não gosta. Até que um dia no fim da refeição ela teve um desabafo sem nenhum ar de estar a desabafar quando disse como se estivesse a falar com outra pessoa que este rapaz que era eu era um niquento. Dias depois a mesma cena e eu lembrando que me tinha chamado niquento provei um pimento e me soube tão bem que até pedi mais à minha mãe que fez aquela carinha bonita e exclamou que o pimento não me iria furar a tripa. E não furou pois ainda aqui estou e com pena de ver todos os dias autoritariamente esconderem pimentos vermelhos e os portugueses a ficarem cada dia mais niquentos mas com falta - ignorada - de tais pimentos.
Rogérito, à memória de minha mãe