20 março, 2011

Homilias dominicais (citando Saramago) - 32

Há uns tempos, quando o sonho sonhado estava próximo de um estar acordado, havia alertas à colonização das mentes. Nada feito, não resultou. Nem só o sonho hibernou como também a falta de respeito se institucionalizou. O instituto sagrado das redacções - não importa de que meio de comunicação - assume-se, na liberdade de expressão, com a maior falta de respeito. Parte de nós vive com a mente colonizada (e não diz nada): julgam não haver alternativa para esta vida…

HOMILIA DE HOJE

(Hoje, a homilia limita-se à legenda da fotografia)
.
"Aprendi a não tentar convencer ninguém. O trabalho de convencer é uma falta de respeito, é uma tentativa de colonização do outro." José Saramago (algures, em 1975)

12 comentários:

Carla Farinazzi disse...

Caro Rogério

Tanto a Homilia de hoje, com a frase de Saramago na legenda da foto, como também o post de ontem, com o vídeo da manifestação, são dignos de aplausos!

Parabéns a você e ao nobre povo português, que sofre com governantes cruéis. A imagem daquele senhor que foi despedido do restaurante e vive com 184 euros, tocou-me o coração, profundamente. Isso não é justo. Em hipótese alguma.

Beijos

Carla

Rogério Pereira disse...

Carla
Me empreste seu Lula
Um bocadinho...
(estou brincando
também os temos por cá
só que povo não está votando
e,
assim...
não dá)

Gisa disse...

Convencer o outro não só é infrutifero quanto desdenha a capacidade de compreensão alheia. Aprovo a homilía assim como a legenda.
Resta-me apenas ficar na torcida de que tudo desague bem para o povo português.
Um grande bj querido amigo

Luis Eustáquio Soares disse...

descolonizar-nos totalmente, mentalmente, ecologicamente, politicamente, epistelogicaamente, amorosamente, vitalmente. eis o permanente desafio...
saudações
de la mancha

Malu Machado disse...

Nossa Rogério!!!!!!!!!! Nem acredito, usamos a mesma frase do Saramago. rss. Vim ler seu novo post e dei de cara com a frase que também acabei de usar. rsss e não é que o "mantra" de José serve para muitas lutas?

folha seca disse...

Caro Rogério
Creio haver alguma "contradição" nesta frase de Saramago.
Conheci-o nesta altura e a mim conveceu-me de algumas coisas, sobretudo que a batalha ideológica era longa. Creio que ainda há muito a fazer para conquistar "a paz, o pão , a saude, a habitação"
Abraço

Lídia Borges disse...

Esta afirmação revela um pensamento avançado, construído sobre um imenso saber e uma enorme generosidade.
A aceitação do outro e da sua essência enriquece e fortifica a nossa identidade, ao contrário do que mentes obscuras defendem.

E pensar que isto se reporta a (1975)

Um Bom Dia da Poesia

Tite disse...

É óptimo quando acreditamos, sem esforço nem força, em quem nos traça as linhas orientadoras.

Foi o que fez Saramago

Abraços querido amigo

Fê-blue bird disse...

Uma frase que demonstra uma vez mais a lucidez e inteligência de Saramago.
Apesar de ele sempre me convencer.

Bjs

Graça Pereira disse...

Rogério, meu Amigo
Pois parece que vai haver aí " muito pano" para conversas avinagradas...
As mentes "colonizadas" já não se deixam convencer... a única via, é o exemplo ( o bom...) e este, está a caminho da extinção!!!
Bjs
Graça

ARFERLANDIA disse...

O desígnio desta frase de JOSÉ SARAMAGO é um príncipio ou metodologia que sempre foi e será sempre o meu. Ainda que o "recado" nem sempre chegue a ser compreendido na sua essência.
Grato pela sua visita, já que eu "passe" por aqui regularmente.
Um abraço fraterno.
BEM HAJA

ARFER

jrd disse...

Genial! Mestre Saramago convenceu-me.