23 fevereiro, 2012

José Afonso (1929-1987).


Não se separa um homem inteiro, das partes e facetas que lhe dão a dimensão. 
Não se separa o andarilho, dos trilhos percorridos. 
Não se separa o professor, dos seres a quem deu saberes. 
Não se separa o cantor, dos seus cantos. 
Não se separa o poeta, dos poemas que nós dizemos.
Não se separa o criador, da obra criada. 
Não se separa o resistente, da luta travada. 
Não se separa o sonhador, da utopia sonhada. 
Não se separa a razão, da alma. 
E quando tal se separa, o homem parte. E fica-nos a memória de um homem digno, de um homem inteiro.

.
Fica uma canção, talvez a primeira que cantei,
mesmo antes de o ter ouvido e que hoje recupera actualidade

Foto do Público 

23 comentários:

  1. Quando se percorrem caminhos comuns, as escolhas são partilhadas.
    O Zeca é teu e meu e de muitos mais.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Como já disse ao folha seca,
    à São, à Rosa dos Ventos, prefiro lembrá-lo a 2 de Agosto... ou nos outros dias todos.. isto de pensar em perda e mortes dá-me uma tal tristeza que fico mais pró resignada do que pró lutadora e hoje já estou a ficar deprimida... mas eu é que sou pró esquisita ;)
    Uma das pessoas que mais adorei foi a minha avó e nunca me esqueço do dia do seu aniversário, não me lembro do dia em que morreu, e o mês já teria que pensar muito... sou assim... tenho um cérebro muito meu amigo... o que chateia aqui a moça... vai pró lixo :)

    Bjos

    ResponderEliminar
  3. "O lago de Breu" e "Os Vampiors" foram as primeiras canções dele que tive conhecimento.

    Um abraço para ambos.

    ResponderEliminar
  4. Caro Rogério
    Perante as suas palavras, fico sem jeito para acrescentar seja o que fôr, o meu caro disse tudo e bem.
    Um grande abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  5. Bons tempos em o nosso povo cantava:

    Grândola, vila morena
    Terra da fraternidade
    O povo é quem mais ordena
    Dentro de ti, ó cidade

    ResponderEliminar
  6. Bom cantar, bom declamar, bom ler e bom recordar.
    Um grande bj

    ResponderEliminar
  7. É assim que se percebe cada vez mais que a sua herança é tão grande que estou farta de percorrer blogs e Facebook e ainda não ouvi uma música repetida.

    Grande Zeca!
    Não sinto que ele tenha morrido, apenas foi ali e volta sempre que o convidamos.

    Abraços

    ResponderEliminar
  8. Um espírito livre, comprometido com a luta dos povos.

    ResponderEliminar
  9. "...O que faz falta,
    O que faz falta é animar a malta..."

    Zeca Afonso - Um génio da música portuguesa que tantas alegrias nos deixou!

    ResponderEliminar
  10. Grande Homem! Grande autor! Grande voz!

    "Eles comem tudo" - e continuam a comer-(nos)!

    ResponderEliminar
  11. Acabo de ouvir, mais uma vez, Os Vampiros e, se já vinha mirradinha de palavras, fiquei mesmo sem elas...
    Um abraço e... Viva o Zeca, sempre!

    ResponderEliminar
  12. Rogério

    Conheci ou melhor o Zeca conheceu-me, tinha eu uns 7 anos. Ligado à minha família na altura por questões políticas ( um dia explicar-lhe-ei), tenho dele uma imagem difusa.

    Reencontrei-o no meio do Atlântico, a bordo do navio 'Angola', onde todas as noites O cantávamos (eu e mais uns quantos militares, que seguiam para Moçambique), porque deportados já íamos todos. Lembro-me de, aí pelas 4 da manhã, junto à piscina gritarmos, mais que cantarmos, tudo o que dele conhecíamos.

    Lembro-me de, já em Benguela, nos intervalos das aulas, eu desafinada de todo, cantar o Zeca, para espanto dos colegas

    Faz-nos falta o ZECA, BANDEIRA hasteada ainda DO NOSSO QUERER, HOJE


    Beijo

    ResponderEliminar
  13. "Eles comem tudo e não deixam nada!"

    Meu amigo, Zeca Afonso faz parte da nossa história de resistência e luta.
    Infelizmente passados 25 anos, as suas canções e os seus poemas continuam actuais e a transmitirem a mesma força.
    O povo oprimido e injustiçado nunca o esquecerá!

    Zeca Sempre!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Não se separa este homem de um coração português...

    Um beijo

    ResponderEliminar
  15. "De toda a parte chegam os vampiros
    poisam nos prédios poisam nas calçadas..."


    Assim continuamos...sem termos já quem assim lhes cante...

    Que tristeza!

    ResponderEliminar
  16. Tarde mas cheguei. Hufa vim a pé e ainda tenho quer ir ao FB ás zero horas! Porque será! Certamente o meu amigo saberá.

    Não vou comentar seu texto para não estragar!
    Direi apenas Zeca Sempre!


    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar