10 abril, 2012

Só quero lembrar que o futebol é a coisa mais importante de entre as coisas pouco importantes com que nos devemos preocupar!

12 comentários:

  1. Infelizmente caro amigo, em determinadas comunidades, principalmente em meu país é o instrumento maior para salvar crianças que estão relegadas ao abandono e a miséria.
    Serve para mante-los na escola, e longe das ruas e da criminalidade. Por isso temo que parem de dar valor a este esporte que resgata a dignidade de comunidades inteiras.

    Muita Luz e Paz
    Abraços

    ResponderEliminar
  2. Adelaide,

    Fala-me de desporto e de um jogo... mas não é esse o ponto.

    Do que falo é disso transformado em preocupação, da alienação do povão...
    do negócio e das negociatas...
    do espectáculo de massas,
    em todos os sentidos.

    ResponderEliminar
  3. Tendo em conta o que Adelaide diz, concordo de todo contigo, Rogério!

    Fica bem

    ResponderEliminar
  4. Parece que estás a dar orientação política ao povo

    Conversa avinagrada

    ResponderEliminar
  5. Mas ainda há quem mexa muito bem no jogo do poder. E enquanto o povo chora de alegria pelas vitórias, fica zangado pela má arbitragem, há os meandros mafiosos que controlam os primeiros lugares e quem tem que perder e como.
    Beijo

    ResponderEliminar
  6. E quem lhe disse que o povo evoluiu? Diga lá se não parece o Coliseu romano, sempre cheio, durante a queda do Império? Enquanto isso o saque não parava.
    A única coisa que a ciência consegue provar como elo de ligação entre o homem e o macaco, é que são contemporâneos... quanto a evolução, népia.

    ResponderEliminar
  7. Pois,a verdade é que não consigo explicar porquê, mas eu sou Benfiquista, pronto!

    Aquele penalty que, mais uma vez, o árbitro não apontou a favor do Benfica ficou-me atravessado...
    ...

    ResponderEliminar
  8. És capaz de ter razão, mas que magoa perder este campeonato por incompetência, magoa mesmo.
    :(

    ResponderEliminar
  9. Lembrar é trazer à memória de quem já sabe.

    Há tantos a não saber. Que pena!



    L.B.

    ResponderEliminar