27 fevereiro, 2014

A mudança


A letargia ajuda. Ajuda à percepção, errada, de que nada muda. A dor que se sente já a sentiu muita gente, julga-se e, sendo assim, não há nada a fazer. A letargia ajuda a não querer mudar e a pensar que haverá boas razões para não mudar. Estar quieto é garantia de não tropeçar - mesmo que se desenhe à sua frente o cenário de queda eminente. Quanto a não mudar de ideias, é fácil. Há três boas razões: a primeira, é não ter ideia nenhuma; a segunda, é ter a sensação de já ter tido alguma e desejar que a memória não a traga de volta; a terceira, a mais vulgar, é mesmo não querer mudar. Mudar é socialmente mal aceite e pouco gratificante.

Agora a sério: entre as ideias fixas e as que se defendem por coerência, há (na aparência) uma pequeníssima diferença, que só a ética explica.