11 fevereiro, 2014

Dê oito, eu dou infinito, porque isto é mesmo muito bonito (o puto nem dezoito anitos tem)



Povo Lusitano
Lembro-me quando eu era novo
Avó do novo, dizia ao Diogo
Heróis do mar nobre povo
Conquistas que foram feitas
E as nossas ideias
Fascina-me ver que a nossa história
Dê uma epopeia
Eu lia nos livros
E via o orgulho sentido
Metade do mundo conhecido
Fomos nós que o descobrimos
Povo com garra, determinação
E muito unido
Somos m4o
Tudo incluído
Mas de há uns anos para cá
Notei a diferença
Seguem para outros países
Para pôr comida na mesa
Evolução, na emigração
Devido á situação
Não há razão para ficar
Na nossa nação
Algo está mal
Apontar nomes não é o que eu faço
Mas alguém se contradiz
E não dá os seus próprios
"Passos"
Desculpem a revolta
Nas linhas que fiz
Não aceito que para uma vida melhor
O português tem de deixar o seu país

Digo com orgulho
Povo unido, jamais vencido
Tentam mandar abaixo
Mas nós não caímos
Com a nossa garra e força
Destruímos esses planos
Digo com orgulho
Não há povo como lusitano
Digo com orgulho
Povo unido, jamais vencido
Tentam mandar abaixo
Mas nós não caímos
Com a nossa garra e força
Destruímos esses planos
Digo com orgulho
Não há povo como o lusitano

Sincero, não percebo
O que se passa
Digo basta, a minha geração é vasta
Não está gasta, algo que se faça
Eu sobretudo, estudo
Luto sempre pelo que procuro
Mas quem estuda no presente
Não assegura o futuro
Assume a cara, encara
Repara, a geração jovem ninguém ampara
E agora falo para
Para os senhores que se sentam lá no topo
Sei que que ainda sou bué novo
Mas sei mais que vocês sobre o nosso povo
Um povo que aguenta
Com qualquer iniciativa
Positiva ou negativa
Supera tudo
Com a cabeça erguida
Tem porte, nunca perde o norte
Esta é para vocês
Eu grito e repito
Não há povo como o português

Digo com orgulho
Povo unido, jamais vencido
Tentam mandar abaixo
Mas nós não caímos
Com a nossa garra e força
Destruímos esses planos
Digo com orgulho
Não há povo como o lusitano

Digo com orgulho
Povo unido, jamais vencido
Tentam mandar abaixo
Mas nós não caímos
Com a nossa garra e força
Destruímos esses planos
Digo com orgulho
Não há povo como o lusitano
D8 in "Factor X"

7 comentários:

Joana Silva disse...

Mais um poeta, que mesmo sem ter uma boa voz, toca o coração de todos!

O Puma disse...

Tantos são os povos e as suas vozes

São disse...

São jovens assim que se preocupam com a situação social e com o rumo do país em vez de andarem estupidamente envolvidos nas selvajarias praxísticas , perdão, nas praxes, que nos dão esperança!

Obrigada pela divulgação e partilhei

Janita disse...

Esperemos que não sejam apenas...parole, parole, parole!

O rapazinho empenhou-se e tem jeitinho. Isso também conta!

Ganhou outro, paciência!

Gostei de ver porque não acompanhei o programa na totalidade...Boa partilha.

Um beijo.

maceta disse...

tambem ainda acredito que os havemos de derrubar e sem piedade !!!

heretico disse...

que as lantejoulas não o deslumbre!

abraço

Cristina Cebola disse...

Que o sonho não se desmorone e as convicções não se percam no tempo...:)

Abraço amigo!