24 fevereiro, 2014

Hoje, sou pequenino!


Aniversário
A todos, sem excepção, devia ser concedido
um momento, curto que seja
de regresso à idade da inocência
revisitando esses dias raros
lúcidos, simples, claros
Minha Alma tenta sempre isso em dia de aniversário
Meu Contrário considera esse gesto inútil e despropositado
Lembra-me, esse meu juízo
a idade que o meu corpo tem
ele que guarda memórias de criança
boas, más e amargas também
(Hoje já não faço anos.
Duro.
Somam-se-me dias.
Serei velho quando o for.
Mais nada.
Raiva de não ter trazido o passado roubado na algibeira! ...)


Ou talvez aí ainda o tenha
No mesmo lado onde guardo os sonhos
que vou tendo
Rogério Pereira