17 fevereiro, 2014

Para não dizer que não vos falei de flores... (uma canção de acordar)

A imagem é do "Rodrigo"
 A tendência de fulanização do que nos acontece faz com que esqueçamos o que nos diz a canção. Há um bem consertado processo de recuperação de imagem de personagens conhecidas. As políticas são esquecidas, sobram os rostos e as nódoas negras nas almas e nos corpos, desligados  uns dos outros. Nomes e marcas desligadas. Um qualquer rosto, remaquilhado, com discursos "arejados", bem nos pode fazer regressar a pontos de partida indesejados mas conhecidos. A história vai-se repetindo numa ininterrupta farsa.