29 junho, 2014

Geração sentada, conversando na esplanada - 66 (Lula, Dilma, a "Copa do Mundo" e... o resto )

(ler conversa anterior)
«Que os trabalhadores e o povo se perguntem sobre a oportunidade de se construírem estádios em vez de infraestruturas que correspondam às necessidades sociais é legítimo. Mas, nessa contradição própria em que se geram os protestos no Brasil, com justas reivindicações mas também com aproveitamento da direita, há que olhar com profundidade...» 
Bruno Carvalho, citado por mim, aqui

«Mas, não é a Copa, imbecil! É a eleição presidencial. É a perspectiva provável de reeleição da Dilma, ainda mais com a possibilidade de um retorno do Lula em 2018. Isto é o que produz o desespero da direita nacional e dos seus aliados internacionais. Não olhem para o dedo que aponta a lua, olhem para a lua. A questão política central este ano não é a Copa, são as eleições.»

Não me contive e numa atitude intrometida espreitei por cima do ombro dela. Ela quando deu por mim parecia que me esperava, esboçou um tímido sorriso e disse o que era escusado, pois eu estava a ver o que lhe tomava a atenção: "estou a reler este seu post", "estou a ver" disse, mas aproveitei para eu próprio relembrar um texto linkado. Ia lendo, e ela também. "Não se importa agora de abrir este outro link?" Ela abriu, eu fui lendo e, a dada altura li de alto: "O Brasil orgulha-se de se associar a Cuba neste que é primeiro porto terminal de containeres do Caribe com capacidade de se integrar à cadeia logística interoceânica", afirmou a presidente." A Gaby ficou por momentos silenciosa e depois perguntou-me se eu ia mesmo escrever e aprofundar a realidade brasileira, respondi-lhe que sim e acrescentei:
"A série de posts vão ter o mesmo título, e começo hoje com este vídeo, quer ver?" e peguei-lhe no iPad para o encontrar e mostrar: