08 novembro, 2018

Redacções do Rogerito (41) - [Ética]

Ontem cá na minha escolinha foi muito bem explicado o que era uma expressão em sentido figurado e dado como exemplo que um banho pode nem ser de água e pode ser até que seja um banho de ética. 

Aprendido isso entendo que um banho deve ser tomado com a regularidade que a boa higiene aconselha pelo que também em sentido figurado julgo ser figurão todo aquele com banho de ética tomado para além do prazo de validade do iogurte.


É que trinta dias sem ética dá aso a coisa do arco da velha e até porca e por isso cá para mim tomo um banho dela todos os dias ou então...

... dia-sim-dia-não.

14 comentários:

Lídia Borges disse...


"Apanha-se mais depressa um mentiroso que um coxo."

Mas, sabe Rogério, há tantos "doutores" amigos desta "ética" que começo a suspeitar que a "Ética" já morreu e ninguém me avisou.

Bj.

Lídia

Maria João Brito de Sousa disse...

Ocorreu-me que o senhor deputado possa ter sido "abençoado" com o dom da ubiquidade, mas não ligues muito ao que me ocorre antes de beber o cafezinho da manhã...

Folgo muito em rever-te por aqui, sobretudo porque, exactamente como tu, penso que trinta dias sem ética dão sempre numa grande porcaria.

Beijinho, Rogérito.

Anónimo disse...

Para alguns o banho é como mais convém, dentro do prazo de validade ou já fora dele....um bom dia

Janita disse...

Pois eu acho que um bom banho de 'ética'
tomado sem dia nem hora, mas sempre que for preciso,
só faz bem à saúde própria e dos demais,
mas sem deixar a sujidade virar sarro, claro!!

Larissa Santos disse...

Kkkk muito bom :))

Do nosso amigo Gil António, com Teu olhar ... me seduz

Bjos
Votos de uma óptima noite.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Lídia

Foi tempo em que era mais fácil apanhar um mentiroso que um coxo

hoje eu apanho os coxos todos
e apenas apanho uma ínfima parte
dos mentirosos

de quando em quando, se caça um
e logo se espalha a confusão
de se terá mentido, ou não

Rogerio G. V. Pereira disse...

Maria João,

trinta dias sem ética, seria o fim do Mundo
(tal como o conhecemos)

Rogerio G. V. Pereira disse...

Anónimo
não volte
e se voltar
assine por baixo

(é pouco ético comentar
sem assinar)

Elvira Carvalho disse...

Pensei que tinha comentado esta redação do Rogerito, mas parece que me esqueci do publicar.
Trinta dias sem ética, seria uma anarquia completa. Mais do que isso, seria o caos.
Abraço e bom fim de semana

Rogerio G. V. Pereira disse...

Janita

o seu juízo
"mas sempre que for preciso"
dá ao banho de ética
uma orientação pouco higiénica

quem decide quando é preciso?
se for o próprio porco
é tendencioso
e...
pouco ético

Rogerio G. V. Pereira disse...

Elvira

«Trinta dias sem ética, seria uma anarquia completa. Mais do que isso, seria o caos.»

É isso mesmo que eu penso
e que pensa o Rui Rio

Só que ele aceita o iogurte estragado...
e, por isso,
devia é estar calado

Rogerio G. V. Pereira disse...

Larissa

muito bom?
eu diria, muito mau!

Maria João Brito de Sousa disse...

Rogério,

tens razão. Mas o mundo humano, tal como o conhecemos (conhecíamos?), está por um fio. Não lhe dou um século.

Espero é que nesta nossa atarantada viagem para o mundo que está a ser engendrado, nunca nos falte a ética.

Para que, nesse próximo mundo, o Sol brilhe para todos nós e não apenas para um punhado de pseudo-eleitos, vamos precisar de muita, mas mesmo muita ética.

Abraço

Gil António disse...

Boa noite:- Gostei da analogia ao banho de ética. Aqui e ali ainda se vai encontrando banhos desses, mas são tão raros, infelizmente.
.
* Solidão poética na noite escura ( Poetizando e Encantando ) *
.
Abraço de amizade