19 setembro, 2010

Homilias dominicais (citando Saramago) - 7

Os sonhos, tal como as palavras, são manifestações complexas e sofisticadas próprias do ser humano. Há quem diga que os sonhos habitam e saem, por vezes, da alma. Para mim, e de forma similar ao que serve para os descrever, saem de todo o lado. Coração e cérebro são os grandes responsáveis pelo processamento e arquivo dos sonhos. Um irriga o outro e este converte as necessidades em algo a desejar . Os olhos e ouvidos são acessórios importantes para construir um sonho, mas não executam nada. No fim de tudo, são as mãos as principais responsáveis pela materialização dos sonhos. As mãos podem-se anular, algemando-as ou tão simplesmente serem entretidas com movimentos de diversão por vezes até contrários ao sonho. Assim impedido, um sonho pode ser adiado, sobrevivendo no consciente ou no inconsciente da mente e do coração… Um poeta disse que seu pensamento “…é como o vento, podem prende-lo, matá-lo não”, Hoje falaremos do sonho dos “Sem Terra”, movimento que luta pelo sonho de a terra dever ser de quem a trabalha. Sonho que os brasileiros estão construindo e que os portugueses, guardam como um sonho que hibernou, mas que um dia irá despertar...

HOMILIA DE HOJE

O SONHO - Os sonhos não são fáceis quando se sonha com a terra, como um direito negado. O massacre de Eldorado dos Carajás/Brasil, que completava um ano mostra que se paga a vida pelo sonho. Dezenove integrantes do Movimento dos Sem Terra haviam sido brutalmente assassinados pela polícia. Em abril de 1997, o fotógrafo Sebastião Salgado, o escritor português José Saramago e o compositor Chico Buarque lançam um livro/cd para relembrar o facto e marcar a importância da luta pelo sonho, pelo chão, pela terra...

PALAVRAS DE SARAMAGO - "Povoando dramaticamente esta paisagem e esta realidade social e económica, vagando entre o sonho e o desespero, existem 4 800 000 famílias de rurais sem terras. A terra está ali, diante dos olhos e dos braços, uma imensa metade de um país imenso, mas aquela gente (quantas pessoas ao todo? 15 milhões? mais ainda?) não pode lá entrar para trabalhar, para viver com a dignidade simples que só o trabalho pode conferir, porque os voracíssimos descendentes daqueles homens que primeiro haviam dito: “Esta terra é minha”, e encontraram semelhantes seus bastante ingénuos para acreditar que era suficiente tê-lo dito, esses rodearam a terra de leis que os protegem, de polícias que os guardam, de governos que os representam e defendem, de pistoleiros pagos para matar. Os 19 mortos de Eldorado dos Carajás e os 10 de Corumbiara foram apenas a última gota de sangue do longo calvário que tem sido a perseguição sofrida pelos trabalhadores do campo, uma perseguição contínua, sistemática, desapiedada, que, só entre 1964 e 1995, causou 1 635 vítimas mortais, cobrindo de luto a miséria dos camponeses de todos os estados do Brasil. com mais evidência para Bahia, Maranhão. Mato Grosso, Pará e Pernambuco, que contam, só eles, mais de mil assassinados. (…)
O Cristo do Corcovado desapareceu, levou-o Deus quando se retirou para a eternidade, porque não tinha servido de nada pô-lo ali. Agora, no lugar dele, fala-se em colocar quatro enormes painéis virados às quatro direcções do Brasil e do mundo, e todos, em grandes letras, dizendo o mesmo: UM DIREITO QUE RESPEITE, UMA JUSTIÇA QUE CUMPRA."

Prefácio ao Livro “Terra” escrito por JOSÉ SARAMAGO 1997

AO LADO DO SONHO EXISTE SEMPRE UMA CANÇÃO


NO PROGRAMA DO JÔ, (o Sebastião Salgado, José Saramago e Chico Buarque de Holanda)

Nota: São 5 videos que estão disponíveis no Youtube, escolhi aquele em que Saramago tem maior protagonismo