17 setembro, 2010

Aceita poemas sempre, mas guarda-os separados!

Aceita o poema
Sempre
Mesmo que pareça
Milho de dar a pardais
Para que esqueçam que a seara
Não existe mais

Aceita o poema
Sempre
Mesmo que fale apenas
De penas,
Madrugadas, neblinas, brisas e luas
Esquecendo o que se passa nas ruas

Aceita o poema
Sempre
Mesmo que, passivo,
Contemplativo
Louve o belo, o corpo, a alma, o coração
Ignorando que cada coisa bela
Nasce de um gesto
Contido na nossa mão

Aceita esses poemas
Mas não os guardes no mesmo lugar
Onde deverás guardar os outros
Aqueles que nos confrontam
com a realidade que somos
Aqueles que falam das searas e do pão
Aqueles que nos falam das ruas e dos caminhos
Aqueles que nos falam do trabalho e da mão


Enfim, todos os que num coro de hinos
Ou protestos, cantados
Entram na verdade de nós mesmos

Os outros? Os outros são devaneios necessários...

(Dedicado à Maria, nascida ontem)

14 comentários:

Luís Coelho disse...

Belo poema
Parece ser -dois em um- ou primeira e segunda parte -filhos e netos-

Aceita-os, vive-os, mas guarda-os em caixas separadas.........

Luís Coelho disse...

Esqueci.me de felicitá-lo por esta nova vida na família.
Parabéns e muitas felicidades para todos.
Desejo muita saúde e vida à MARIA.

folha seca disse...

Caro Rogério

Bonito!

O meu dia já vai com umas horitas, já ri com o post da Fê.
Agora com este poema, o dia vai certamente correr melhor.
Abraço

Fê-blue bird disse...

Adoro esta sua veia de poeta, inspirado pela chegada da princesinha Maria, mas não esquecido da realidade do mundo.
Escrevi à tempos este singelo poema para a minha filha, outra Maria por sinal, se não se importa ofereço-o também à sua Maria.

Esta noite...
Pintei uma estrela e coloquei-a nos teus cabelos
para que iluminasse todos os teus sonhos.
Esta noite...
Criei à tua volta uma áurea de paz
para que afastasse todos os teus medos.
Esta noite...
Plantei um tapete de flores no teu caminho
para amortecer as tuas quedas.
Esta noite... tudo foi possível
Bastou querer!
Bastou sonhar!

Muitos beijinhos

Carlos Albuquerque disse...

O avô é um sortudo, pois é, mais uma netinha para acarinhar e ver crescer, que é o que mais belo a vida nos dá.
Mas a recém chegada Maria também é já um ser feliz por ter um avô que lhe escreve poemas assim!
Um abraço

José disse...

Rogério!
Muitas felicidades para Maria, e parabéns ao avô pelo lindo poema que fez à sua netinha.
Tenho a certeza que ela um dia vai ficar muito orgulhosa do avô que tem.
Eu tenho uma neta com sete anos, e fiz também um poema para ela no dia que ela nasceu, está publicado em livro,e ela leva o livro para a escola, para mostrar às amigas.

um abraço,
José.

maiuka disse...

Rogério,

Percebi o poema. Tem recomendações importantes, para ela quando for adolescente. Se eu as tivesse tido...

Mais uma vez, parabéns

Pela neta
deste poeta

Vê que também sei rimar?

Beijo

São disse...

O nascimento de uma criança, de qualquer criança, é sempre uma renovação, um jorro de esperança no mundo. O que desejo sinceramente é que a sua neta Maria seja essa esperança concretizada em tudo quanto são as expectativas da família.

Um bom fim de semana... e muitos parabéns pela menina.

Isa GT disse...

Uma nova maneira de dizer as coisas, um poema doce-amargo, temperado com mais mel que vinagre.
Efeitos da Maria ;)

Bjos

Rogério Pereira disse...

Que bom ter amigos
(direi isso à Maria)

Farei com que ela seja o que todos esperam dela:

ALGUÉM QUE NÃO REJEITE UM POEMA
QUE TODOS RECEBA
MAS OS SAIBA SEPARAR
OS QUE SERVEM PARA AMAR
DOS OUTROS QUE APENAS SÃO VAIDADES, DEVANEIOS NECESSÁRIOS E QUE, EMBORA QUERIDOS
NÃO FARÁ MAL, SE ESQUECIDOS

Beijos e Abraços

(agora, se me permitem, vou copiar a estrela que a Fê pintou e colocar-lha nos seus cabelos
para que ilumine todos os teus sonhos.)

Fernanda disse...

Parabéns amigo por mais essa dádiva!
Uma netinha!

O poema um encanto!
Guarda-o bem até que ela o possa ler, entretanto vai-nos deslumbrando com mais.

Beijinhos


PS. A Ana pode é uma Sempre Jovem, eu não sou mais (~_~) !!!

FMF disse...

PARABÉNS PELO NASCIMENTO DA NETA.

PARABÉNS PELO POEMA. OBJECTIVO SEM DEIXAR DE SER BONITO

Ana Martins disse...

Boa noite Rogério,
maravilhoso e profundo, deixou-me sem palavras, sente-se no poema todo o amor de um avô babado e feliz.

Um beijinho à Maria, e, que a vida sempre lhe sorria são os meus sinceros desejos.

Deixo um beijinho amigo,
Ana Martins
Ave Sem Asas

ematejoca disse...

Li o poema. Gostei. Não comentei por não saber quem era o autor. Ainda pensei no Saramago (algum poema que eu desconhecesse).
O poema é dedicado à Maria, mas também se pode dedicar um poema a alguém, mesmo não sendo da nossa autoria.

Surpresa! Surpresa!

O autor deste belo poema é o meu amigo Rogério. Parabéns!