22 novembro, 2010

Não posso faltar



Lídia Jorge no Café com Letras
[ debate ]
23 Novembro 2010, 21h30
Biblioteca Municipal de Oeiras


Uma noite a não perder onde terá a oportunidade de ouvir e dialogar com a mulher e a escritora.
Contactos: Tel. 21.440.63.36

11 comentários:

O Puma disse...

Lídia

uma referência
de corpo inteiro

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Estive com ela no lançamento do Conserto do Mundo, uma colectânea de contos a que fiz referência há dias. É simpatiquíssima e será, sem dúvida, um empo bem passado.

Anónimo disse...

Ainda cheguei a comprar um livro dela quando era sócio do Círculo de Leitores.
Um abraço.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Uma mulher muito elegante!
E grande escritora! Li ha mto tempo "A Macon" e gostei demais.

(desculpe a falta de acentos, pc japa rs)
boa semana meu caro!
abracos

polittikus disse...

Peço desculpa, mas não vou aceitar o convite. Ao contrário do que já aqui escreverem, não acho a senhora simpática, pelo contrário é a arrogância em pessoa. Bastou-me passar um fim de semana com a senhora por termos amigos em comum... jurei para nunca mais e tive a oportunidade de lhe dizer na cara.

Carlos Albuquerque disse...

Encontro com um escritor, simpático ou não, em especial quando aberto ao diálogo, é sempre interessante.
A este não poderei ir. Ainda me é penoso deslocar-me, mesmo com o auxílio das canadianas.
Quanto a Lídia Jorge confesso que apenas li A Costa dos Murmúrios. Gostei, embora não me tivesse apaixonado pela obra. Conheci a escritora,(não me pareceu arrogante) quando há anos me foi apresentada pelo marido, o meu colega Carlos Albino com quem trabalhei, lado a lado, durante cerca de dois anos. Colaborávamos ambos no programa Limite, na Rádio Renascença, onde foi passada a senha do 25 de Abril, já eu me tinha separado da equipa, tomando outro rumo...
Abraço

Rogério Pereira disse...

A mulher é, para:

- O Puma, "uma referência de corpo inteiro"
- o CBO, "simpatiquissima"
- o Alexandre, "muito elegante"
- o Politikkus, "a arrogancia em pessoa"
- o Carlos Albuquerque, "aberta ao diálogo"
(o LOL, não se pronunciou...)

Todo o escritor é controverso, certo? Mas acho que vou gostar de conhecer a Lídia...
(estou convencido de que Ela, o Seu Contrário e a Alma Dela, vão lá estar. Terei a minha atenção a triplicar...)

Anónimo disse...

Ainda bem que não a conheço, assim lhes poupo dos meus comentário desagradáveis...rs
Não deixou muito claro se participará do bom dialogar mais à noite, mas se sim, gostaria das suas impressões.

bjs

Fê-blue bird disse...

Dela só li "O Grande Voo do Pardal"
uma história, simples e bela,com uma escrita elegante.
Mas se vivesse mais perto, talvez aproveitasse a sugestão.

Beijinhos

ariel disse...

Dela li, "Jardim sem Limtes", "Vale da Paixão", "A Última Dona". Há muito tempo que não leio nada dela. Gostei muito do Vale da Paixão, e o Jardim sem Limites pareceu-me um obra excelente e muito invulgar.

Devia ter-me convidado....

:)))

Abraço

Rogério Pereira disse...

Ariel,
então vamos
e lá nos
encontramos...

Boa?