15 setembro, 2012

Um mar de gente, um grande rio varrendo Portugal de lés-a-lés...

I

Ir foi um acto voluntário. A maioria terá estado por decisão individual, mas ao reconhecer que outros também estavam (e foram tantos), tiveram talvez uma primeira experiência ao se reconhecerem nessa multidão. Talvez tenham tido a consciência de um poder até aí desconhecido. Se tal aconteceu, que volte a ser utilizado. O pacto tem mesmo que ser rasgado!

Da volta dada aos blogues e amigos do facebook, não resisto em endereçar para este texto, em "O Meu Mundo Cor de Rosa", boa reportagem, excelente prosa...